28 de fevereiro de 2011

Novo endereço do blog

Informo a todos os leitores que o blog vai mudar de endereço para http://www.fat-new-world.com. De resto, tudo se manterá igual, incluindo a ligação ao fórum http://www.bodybuilding-pt.com. O feedback que tenho recebido, embora pouco, tem sido bastante positivo, o que me motiva a continuar com este projecto. Espero que esta pequena mudança em nada afecte o seu interesse pelo blog, As razões para a mudança são simples. Optei por um domínio independente, sem "blogspot", e a temática que abordo é, como sabem, mais abrangente do que o culturismo como modalidade. No entanto, o principal objectivo não muda e irei continuar a partilhar as minhas experiências e conhecimentos com todos os aficionados deste desporto, mas com a ambição de alcançar mais pessoas que possam beneficiar de um estilo de vida tipicamente "culturista"

Espero que me continuem a seguir e que o blog seja suficientemente interessante para merecer a vossa recomendação.

Sérgio

25 de fevereiro de 2011

Round 1: Special K vs Rice Krispies

Hoje decidi fazer aqui um pequeno exercício convosco e comparar dois produtos da Kellogg’s bastante procurados: o “Special K” e o “Rice Krispies”. Estes dois cereais de pequeno-almoço têm, como sabem, dois targets completamente distintos. Enquanto os primeiros se destinam a pessoas preocupadas em controlar o seu peso, os últimos são dirigidos a crianças que geralmente adoram estas guloseimas. Escolhi estes produtos porque os "Special K" são os "Special K" e eu confesso que gosto bastante de cereais de arroz estufado, como os “Rice Krispies”. É "óbvio" que o “Special K” é mais saudável e, citando a marca, são “deliciosos e estaladiços cereais de arroz e trigo que ajudam a cuidar da sua alimentação. Special K ajuda-a a cuidar de si, para que se sinta sempre muito especial.” A primeira coisa que podemos deduzir daqui é que os homens não os podem comer ou pelo menos isso pode afectar a sua masculinidade. Mas comparemos os dois mais de perto:

24 de fevereiro de 2011

Desabafos de uma visita ao supermercado

Hoje andava eu nas minhas compras e dei um salto à secção dos produtos naturais e dietéticos. O motivo é irrelevante mas posso dizer aos interessados que fui comprar sementes de linhaça e aveia. Quando olhei em volta para as pessoas que preenchiam o corredor, praticamente todas elas mulheres entre os 20-40 anos com excesso de peso, não pude deixar de me questionar: o que é que esta gente anda aqui a fazer? 

23 de fevereiro de 2011

Porque muitos falham a entrar em cetose


A palavra “cetogénico” passou a fazer parte do vocabulário corrente dos entusiastas do fitness. Muitas pessoas encontraram nas dietas cetogénicas uma forma eficaz de melhorar a sua composição corporal, embora poucos sejam capazes de explicar o que realmente está a acontecer no organismo. Na verdade, muitos nunca chegam a atingir os níveis de corpos cetónicos considerados ideais para um verdadeiro estado “cetogénico”. Embora a variabilidade inter-individual seja um factor importante, muitas vezes encontro um erro comum que compromete grandemente a cetose: a ingestão de demasiada proteína.

21 de fevereiro de 2011

Para quem pensa que a anorexia é coisa de mulheres...

Não são apenas as mulheres as afectadas pelos distúrbios alimentares. Na verdade, 1/10 anorécticos são rapazes, nos quais a doença é particularmente perigosa e de mau prognóstico. O estigma social de que os distúrbios alimentares são coisa de mulher e a ausência de marcadores fisiológicos que permitam o diagnóstico precoce da anorexia, fazem com que a doença atinja um ponto crítico em que o internamento é inevitável. Este documentário segue 3 pré-adolescentes britânicos que lutam contra a anorexia nervosa numa clínica residencial em Londres.

20 de fevereiro de 2011

"Super Slim Me" - Documentário BBC

O programa acompanha a apresentadora de TV Dawn Porter na sua jornada para atingir o "size zero" de Hollywood. Começando com um IMC de 22, perfeitamente normal, Dawn limita-se a 500 kcal por dia durante 2 meses para atingir o tamanho desejado. A história mostra a sua luta contra a insónia e exaustão, retratando a pressão social que a indústria da moda coloca sobre as jovens que ambicionam ser modelos.

19 de fevereiro de 2011

Um vídeo a não perder: “Drinking The Kool-Aid”

Andava eu a navegar pela internet e deparei-me com este vídeo muito interessante. Foi criado por um estudante de Mestrado em Nutrição, Andy Bellati, que cheio de sarcasmo e humor faz uma caricatura perfeita do que é hoje a indústria do fitness e nutrição. Infelizmente é só para quem domina o inglês...


18 de fevereiro de 2011

6 razões para tomar whey em dieta


É curioso que o suplemento mais consumido por atletas seja o concentrado proteico de whey (ou soro de leite), quando apenas nos fornece um macronutriente banal, presente numa enorme gama de alimentos. Mas não são poucos os ensaios clínicos que comprovam a sua eficácia em estimular a síntese proteica em sinergia com o treino de resistência muscular. Estes resultados são válidos tanto para jovens atletas como para idosos acamados. Todos podem beneficiar com o consumo de whey, cada vez mais vista como um suplemento nutricional não exclusivo à actividade desportiva. Para mais, os benefícios não se ficam pelo estímulo à síntese proteica e incremento de massa magra. Um aspecto menos divulgado mas particularmente interessante é a sua capacidade em potenciar a perda de massa gorda e manutenção de um peso saudável e adequado. Neste artigo vou-lhe dar 6 razões para considerar o uso de whey num regime para perda de peso, ou manutenção após uma dieta restritiva, quer seja activo ou sedentário.

14 de fevereiro de 2011

Corpos cetónicos: o que são?


As dietas “low-carb” têm visto a sua popularidade crescer nos últimos anos, particularmente quando o fim é perder ou manter o peso corporal. No entanto, não existe uma definição concreta do que é “low carb”. Pelos padrões dietéticos actuais, elas podem incluir um consumo de hidratos de carbono entre 0 e 260g/dia, embora seja comum limitar o conceito a 100g/dia ou 30% da energia. Um caso extremo são as dietas cetogénicas, popularizadas por Atkins, que estipulam uma ingestão máxima diária de 50g de hidratos de carbono. Várias versões têm sido criadas, também para atletas, e hoje são bastante utilizadas por quem procura optimizar a composição corporal, embora poucos estejam familiarizados com o metabolismo dos corpos cetónicos. Para ser franco, também não é das áreas onde me sinto mais confortável e os estudos a longo termo acerca destas dietas são escassos. Muito do que se conhece deriva de trabalhos com crianças epilépticas, nas quais este regime traz benefícios acrescidos. Mas atingir um estado de “cetose” não é fácil em pessoas saudáveis e a incompreensão do processo leva alguns a cometer erros que comprometem o metabolismo cetogénico. Neste artigo pretendo partilhar o pouco que sei acerca deste aspecto e da função dos corpos cetónicos no organismo como adaptação à carência em glicose.

10 de fevereiro de 2011

Creatina ajuda, mas não a todos...


Embora vários estudos comprovem o efeito ergogénico da creatina (Cre), existe um grande conflito de opiniões entre os atletas quanto à sua utilidade no caso particular que lhes diz respeito. É reconhecido por todos que existem grandes variâncias na resposta a certas intervenções nutricionais. Independentemente das nossas características anatómicas e fisiológicas semelhantes, a variabilidade genética e ecológica também influencia a resposta a um determinado composto, entre eles a creatina. A existência de indivíduos sem resposta à suplementação com creatina é conhecida, embora os mecanismos subjacentes sejam ainda obscuros. Com este artigo pretendo mostrar o pouco que se sabe acerca desse assunto.

9 de fevereiro de 2011

Porque não deve tomar creatina se o objectivo for perder massa gorda


A creatina é hoje um dos suplementos ergogénicos mais utilizados pelos praticantes de musculação, e com todo o fundamento. São claros os potenciais benefícios que pode exercer a nível da força, hipertrofia e até resistência em atletas. Mas uma questão que por vezes me colocam é se a creatina deve ser usada durante o “cutting”, um período em que se pretende maximizar a perda de massa gorda e proteger o tecido muscular. A lógica seria manter um alto rendimento no treino e garantir que a carência energética não comprometeria o estímulo muscular, atenuando assim a perda de massa magra. No entanto, existem indícios fortes de que a suplementação com creatina pode inibir a utilização de gorduras como substrato energético em favor dos hidratos de carbono. A minha resposta tem sido sempre neste sentido mas nunca tive oportunidade de explicar a razão. Chegou a altura.

7 de fevereiro de 2011

Antioxidantes: benéficos ou prejudiciais para atletas?



O treino intenso provoca inevitavelmente danos nas fibras musculares activas que se manifestam em dor, rigidez e redução na capacidade de produzir força. A contribuição dos radicais de oxigénio (ROS: Reactive oxygen species) e de azoto (RNS: Reactive nitrogen species) tem sido imensamente estudada nesse sentido e vejo não poucas vezes a recomendação do uso de antioxidantes, especialmente vitamina C e E, de forma a atenuar o processo degenerativo do tecido. Embora em teoria faça algum sentido, não existem provas robustas que suportem os benefícios dos antioxidantes para prevenir ou atenuar o dano muscular induzido pelo treino. Na verdade, existem evidências fortes de um prejudício para as adaptações em resposta ao exercício físico e capacidade de geração de força muscular. O objectivo deste artigo é questionar essas mesmas recomendações e desaconselhar o uso abusivo de antioxidantes que nos dias de hoje se generalizou nos praticantes de desporto e população em geral.

2 de fevereiro de 2011

"The Biggest Loser": ainda nem chegou mas a polémica não tardou...



Duvido que algum português ainda não saiba que em breve teremos o “The Biggest Loser” na SIC, o programa que causou sensação nos EUA. Mas muito me admirava se não surgissem movimentos contra, alimentados agora por um comunicado da Associação de Obesos e Ex-obesos de Portugal (ADEXO) que refere o seguinte:

1 de fevereiro de 2011

O colesterol alimentar e o perfil lipídico: existe relação?

           
Um dos muitos aspectos que marca a diferença entre a dieta “bodybuilder” e o regime seguido pela população em geral é o elevado consumo de ovos que, como sabem, são muito ricos em colesterol. Durante décadas que o principio vigente de uma alimentação saudável tem sido uma dieta baixa em gorduras, baixa em colesterol e rica em hidratos de carbono complexos. Estamos na era do “light” e “fat-free”. Embora a nível individual esta abordagem possa ter trazido alguns benefícios no controlo do peso, onde nos levou a nível populacional? Embora a proporção energética dos lípidos da dieta tenha de facto decrescido nos últimos 50 anos, a percentagem de obesos disparou e Portugal conta hoje com 60% de pessoas com excesso de peso e uma incidência cada vez maior de diabetes e doenças metabólicas. Parece que o corte nas gorduras da dieta não funcionou. Porquê? Existem inúmeros estudos a demonstrar que a gordura total da dieta não está ligada ao peso corporal ou com a saúde. O que realmente interessa é o tipo de gordura. E quanto ao colesterol? Curiosamente, o tipo de gorduras que se consomem influenciam muito mais a colesterémia do que o colesterol presente nos alimentos.