11 de março de 2011

Comentário ao artigo de primeira página do "i" sobre a eficácia do CLA


Hoje bem cedo estava a ver as manchetes da imprensa diária quando me deparo com a primeira página do "i". Estava em destaque uma notícia com o título "Estudo português prova que tomar CLA faz mesmo perder peso". Estranhei a importância que lhe deram e fui ler na expectativa de encontrar alguma novidade. Não só fiquei desiludido como revoltado com a fraca qualidade do artigo.


Citando,


Emagrecer. Estudo português prova que tomar CLA faz mesmo perder peso.

por Ana Rita Guerra, Publicado em 11 de Março de 2011 

Mesmo sem dieta e exercício, todas as pessoas que tomaram o suplemento durante três meses perderam vários quilos. Estudo vai ser publicado em revista científica internacional 
Afinal há mesmo uma receita mágica para emagrecer, e não implica beber dois litros de seiva de ácer com pimenta de caena por dia. O ingrediente milagroso chama-se ácido linoleico conjugado - o popular CLA - e a perda de peso pode ir até aos 12 quilos em três meses. Sem dieta e sem exercício físico.
É isto que dois investigadores portugueses acabam de provar com o primeiro estudo nacional sobre a eficácia do CLA, uma substância dietética que se encontra à venda em praticamente todos os super e hipermercados do país. Apesar de ter chegado ao mercado há vários anos, nunca se tinha comprovado cientificamente o seu efeito redutor da massa gorda na população portuguesa. Foi exactamente isto que fizeram Ana Nunes e António Lacerda, investigadores da Escola Superior de Saúde Jean Piaget, num estudo que deverá ser publicado em Junho numa revista científica internacional. 
"Estamos bastante satisfeitos, porque os resultados vão ao encontro exactamente daquilo que estava descrito", afirma ao i Ana Nunes. O estudo foi feito com três grupos, que totalizaram 69 participantes, durante 12 semanas três meses.
Ao primeiro grupo, de 21 pessoas, foram dados 3,2 gramas de CLA por dia em conjugação com exercício físico três vezes por semana, com um personal trainer. O segundo grupo, de 25 pessoas, só tomou o CLA, sem qualquer actividade extra. E o terceiro grupo, de 23 pessoas, tomou cápsulas de azeite julgando tratar-se de CLA - um grupo de controlo, para perceber se haveria efeito placebo (quando a pessoa acredita tanto no remédio que isso gera efeitos físicos reais). 
Os resultados foram contundentes. Todos os participantes receberam as mesmas indicações nutricionais, mas o grupo que emagreceu mais foi o segundo, o das pessoas que só tomaram CLA, com uma média de seis quilos perdidos sem dieta nem exercício. Como é isto possível? "O CLA aumenta a taxa de metabolismo basal, logo o corpo queima mais energia", explica Ana Nunes. O mecanismo "é algo complexo", adianta, referindo que os relatórios internacionais apontam para um efeito inibidor de adipogéneos - isto é, gordura localizada. Assim, "o CLA é indicado na mobilização de gordura local e no tratamento da celulite", acrescenta. Há também indícios de que a substância funciona como supressor do apetite, mas este efeito é difícil de estudar, já que envolve testes mais complexos (a inibição foi comprovada em ratos de laboratório). 
Uma das partes importantes das conclusões é que o grupo um, que combinou CLA com exercício, perdeu menos peso mas reduziu muito mais a massa gorda - porque o músculo pesa mais. Em média, quem tomou o CLA perdeu 7% da gordura corporal, mas quem combinou a toma com exercício reduziu o dobro da massa gorda.  
Por outro lado, o investigador António Lacerda refere que é importante optar por marcas comerciais que usem a combinação Tonalin. "É patenteada e garante segurança", indica. Há vários tipos de CLA (por exemplo, clarinol), mas não é certo que gerem os mesmos resultados. 
Por fim, o CLA pode ser tomado "para sempre" com o objectivo de manter o peso estável, sem contra-indicações, por ser uma substância natural.

Há vários anos que acompanho o mercado e I&D de suplementos alimentares e desde sempre ouvi estas mesmas aclamações. Nada de novo. Isto até passava se ficasse por aqui mas há certos aspectos no texto que não posso deixar passar em claro. Receita mágica para emagrecer? Ingrediente milagroso? Como sei que existem já vários estudos que sugerem um efeito benéfico do CLA, a grande novidade é que "Apesar de ter chegado ao mercado há vários anos, nunca se tinha comprovado cientificamente o seu efeito redutor da massa gorda na população portuguesa." Não sabia que os portugueses eram geneticamente distintos dos outros e que para provar o que quer que seja é necessário testar em todos os países. As fronteiras geográficas não são biológicas meus amigos.

Não vou por em causa os resultados do estudo nem tão pouco sugerir a falta de isenção por parte da equipa. Este não é o primeiro ensaio que aponta neste sentido e não será certamente o último. Convém é não esquecer que existem outros tantos estudos que não encontram qualquer benefício do CLA para a perda de peso. Só com uma meta-análise que sistematize criteriosamente todos os trabalhos publicados poderemos aumentar o grau de confiança no suplemento. Em 2010, a EFSA publicou a sua posição oficial acerca do CLA e não é nada abonatória. O cherry picking é uma prática que sempre me repugnou e que desvirtua a ciência. Certamente que irei ler o artigo com interesse quando for publicado e ai farei a minha crítica ao trabalho em si. Por agora fico-me pela forma como a informação foi transmitida.

Clarinol vs Tonalin é uma questão que pouco ou nada me preocupa. Quem sabe ver para além da marca não tem dificuldade em perceber que as diferenças são mínimas. Diferem ligeiramente na proporção de isómeros e no método de extracção. Mas em vez de uma empresa, temos duas a mamar do mesmo. O Tonalin é patenteado pela Cognis e o Clarinol propriedade da Lipid Nutrition.A grande maioria dos estudos usam o Tonalin, mas é apenas uma questão de patrocínio e quota de mercado. Há claramente um interesse comercial por detrás deste artigo do "i", ainda para mais sendo uma notícia de primeira página que não traz nada de novo.

Por fim queria só comentar esta pérola: "o CLA pode ser tomado "para sempre" com o objectivo de manter o peso estável, sem contra-indicações, por ser uma substância natural." Ah bom... se é natural então podemos tomar sem proceder aos devidos estudos toxicológicos. Tanto quanto sei, a cicuta é naturalíssima... podemos consumi-la a vida toda? Até é apropriada a Vegans...



2 comentários:

  1. Eu estou curiosíssimo para ler o estudo completo....porque vários kgs em 3 meses está longe,muito longe, do que foram os resultados encontrados em humanos, até hoje(que têm sido pouco mais do que insignificantes).

    ResponderEliminar
  2. Ora bem... tenho pena que não tenham referido a tal "revista científica internacional", mas não vou deixar de vasculhar nas bases de dados.

    ResponderEliminar