18 de abril de 2011

Homeopatia: o poderoso efeito de... nada


A homeopatia é uma das maiores farsas entre as medicinas alternativas mas, miraculosamente, tem saído ilesa da forte crítica por parte da comunidade científica. Um canal televisivo Australiano apresentou recentemente uma excelente reportagem sobre o cambalacho da homeopatia que quero partilhar aqui convosco. É particularmente interessante a parte em que a presidente da Associação Australiana de Homeopatia, Michelle Hookham, refere que a terapia homeopática não pode ser explicada pela medicina tradicional, mas que um dia a física quântica lhes dará razão. Pudera... É mais provável encontrar um electrão no espaço do que uma molécula de princípio activo num produto homeopático.


Ver também no blog da Discover Magazine



6 comentários:

  1. Há uns tempos tentaram provar que os medicamentos homeopáticos eram inofensivos.. tentando ter uma overdose tomando-os... :|

    ResponderEliminar
  2. Alguns artigos sobre homeopatia http://bit.ly/hqF93U

    ResponderEliminar
  3. Em primeiro lugar quero dizer que não sou homeopata nem quero fazer de
    advogado do diabo. No entanto, e como prezo este blog pelas
    similitudes de pensamento que apresenta com o meu modo de pensar,
    gostaria de dizer que neste campo tal como na questão das dietas
    "low-fat" a "ciência" só tem "certezas" quando deveria ter hipóteses.
    Porque é que em vez de se dizer que a homeopatia não funciona, não se
    pergunta se presentemente existe a tecnologia e/ou conhecimento para
    entender os seus mecanismos? Tendo em conta que em vários estudos
    apresenta um efeito igual ao placebo e noutros até superior, creio que
    não é a mesma coisa que se dizer que não tem efeito. O efeito igual ao
    placebo é um efeito quer se queira, quer não. E já agora pergunto como
    é que se induz o efeito placebo em bebés e animais? Eu já vi a
    homeopatia funcionar tanto nuns como noutros. Tendo em conta que a
    homeopatia já tem uns séculos de existência e de uso ininterrupto
    parece-me que se não funcionasse (tal como com muitas outras
    técnicas), o seu uso seria abandonado. Caso se saiba minimamente a
    metodologia da homeopatia, poder-se-á verificar que muito dificilmente
    será possível aplicá-la de modo prático e eficaz aos estudos
    científicos "standard" pois a homeopatia é uma experiência de n=1 e em
    ciência n=1 não é significativo. Gostaria de terminar dizendo que há
    bastantes cientistas a trabalhar neste campo (memória da água) e um
    que tem experiências bastante interessantes é o Dr Masaru Emoto,
    também aconselho vivamente um documentário que todas as pessoas que
    gostam de ciência deveriam ver e que se chama "What the blip do we
    know?". Por fim deixo aqui uns artigos que podem ser interessantes:

    http://www.badscience.net/2000/01/journal-club-the-history-of-the-memory-of-water/
    http://www.internationalwaterforlifefoundation.org/research.html
    http://www.bspcn.com/2008/08/22/5-really-weird-things-about-water/
    http://www.science20.com/news_articles/magnetic_waters_memory_effect
    http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/20129176
    http://hpathy.com/homeopathy-papers/letter-to-the-british-medical-association/
    http://www.i-sis.org.uk/WaterRemembers.php

    Um abraço dum "homem das cavernas" moderno.

    Mingmen

    ResponderEliminar
  4. Realmente este artigo deixo-me de pé atrás no que toca à alta estima que tinha por este blog. A escrita da maior parte dos artigos usa um pressuposto de bom senso que se revelou inexistente neste artigo da homeopatia. A comentário anterior diz praticamente tudo o que ia escrever portanto poupo-me na escrita. Bottom line é: lá porque a ciência não tem meios de prova não quer dizer que não exista. A ciência moderna tem muito esta tendência de determinar o certo/errado, existente/inexistente, preto/branco baseando-se nos meios ACTUAIS. Devia a ciência descer do seu pedestal e colocar as coisas de outra forma: "não conseguimos determinar/aferir o fundamento cientifico". Também não defendo homeopatia mas sou "ANTI-ANTIS"

    ResponderEliminar
  5. A minha intenção não foi ofender ou tentar ridicularizar a homeopatia, mas não escondo que se trata de uma prática que me deixa muito apreensivo. Como cientista, não posso aceitar algo que nem os homeopatas sabem explicar. Seria bem mais fácil se a justificação da terapia fosse o efeito placebo, um fenómeno estudado e bem caracterizado. Já foi visto que uma cápsula de açucar azul é mais eficaz do que uma vermelha para aliviar as dores de cabeça, entre outros resultados do género. Agora alegar que um "medicamento" diluído à escala astronómica pode curar uma doença é, a meu ver, abusivo e foge à regulação requerida aos outros fármacos que têm de mostrar a sua eficácia em ensaios clínicos controlados. Considero até perigosa a ideia de que os compostos homeopáticos podem combater uma certa doença, levando muita gente a abdicar das terapias convencionais por algo de eficácia questionável. A peça fala-nos de um caso. Se a distinção fosse bem feita e esclarecedora, aceitaria a homeopatia como uma alternativa não-comprovada à medicina moderna. Mas não havendo regulação e necessidade de comprovar resultados em ambiente controlado, considero-a uma prática perigosa.

    ResponderEliminar
  6. tou a pensar seriamente em deixar a practica de musculação e cardio para manter o peso e saude para sustituir por medicamentos homehopaticos e reiki.. XD

    ResponderEliminar