28 de abril de 2011

O treino intervalado e uma dieta mediterrânea são a solução para a obesidade?


Um programa que combine treino intervalado e práticas alimentares saudáveis encaixa na perfeição em quem sofre de obesidade, de acordo com os resultados de um novo estudo do centro de medicina preventiva e actividade física (EPIC) do Montreal Heart Institute. Os resultados do trabalho foram anunciados no National Obesity Summit, a ter lugar neste momento em Montreal.


No âmbito deste estudo, os investigadores analisaram o histórico de 62 participantes no Kilo-Actif, um programa de 9 meses para obesos que se foca na perda e manutenção do peso corporal. A intervenção mostra melhorias significativas a nível da massa corporal, perímetro da cintura, IMC e capacidade de esforço. Os resultados são especialmente encorajadores porque os participantes perderam em média 5.5% da sua massa corporal inicial, reduziram a cintura em 5-15% e aumentaram a sua capacidade de esforço em 15%. Além da perda de peso, os participantes também observaram um decréscimo de 7% nas LDL, bem como um aumento de 8% nas HDL.
Oferecido no EPIC e supervisionado por médicos, cinesiologistas e nutricionistas, o programa Kilo-Actif é um programa direccionado à modificação dos hábitos alimentares e promoção de um estilo de vida activo, através da educação em práticas saudáveis. Durante o programa, os participantes comprometem-se a frequentar duas a três sessões semanais de treino acompanhado, com a duração de 60 min cada. São também convidados para cinco reuniões cara-a-cara e duas reuniões de grupo com um dietista, onde as bases da dieta mediterrânea e regras nutricionais lhes são explicadas.
"Foi claramente demonstrado que a obesidade aumenta o risco de problemas de saúde, particularmente de doença cardiovascular, diabetes tipo 2, enfarte, hipertensão e certos tipos de cancro", explica o Dr. Martin Juneau, director do EPIC. "Um programa como o Kilo-Actif, o qual combina treino intervalado com uma alimentação saudável, é indicado na perfeição porque nós sabemos que um decréscimo na massa corporal reduz os factores de risco associados à doença cardiovascular".
"O sucesso do Kilo-Actif baseia-se largamente na adopção de um programa de treino intrevalado", adiciona Valérie Guilbault, uma cinesiologista do EPIC que acompanhou o treino dos participantes. "Provou-se que, comparado com o treino contínuo de intensidade moderada, o treino intervalado é mais apreciado pelos participantes. Este tipo de treino é também mais eficaz, porque alternar entre períodos curtos de esforço intenso e de descanso permite um tempo total de treino mais longo".
O treino como uma actividade lúdica
Inactiva há vários anos devido a problemas de saúde, Marie-Josée Desjardins tinha dificuldade em exercer as suas actividades quotidianas, como subir escadas e ir às compras. Determinada a tomar rédeas à sua vida, decidiu juntar-se ao programa Kilo-Actif. Dois anos mais tarde e pesando 20 kg menos, ela não pretende regressar ao seu estado anterior porque não se imagina a viver sem a sensação de bem-estar que adquiriu. "O Kilo-Actif não só me deu a disciplina, como também o gosto pelo exercício. Hoje, não passo uma semana sem pelo menos três sessões de treino de alta intensidade".

Fonte: ScienceDaily 

Os pormenores do estudo ainda não são conhecidos mas será interessante ver a concepção que a equipa tem da dieta mediterrânea, o qual muitas vezes peca pela ambiguidade de interpretações. Se estivermos a falar da original, típica da ilha de Creta, não tenho dúvidas de que se trata de um plano "indicado na perfeição" para quem pretende emagrecer. Mas independentemente das dúvidas que ficam quanto ao regime alimentar, este estudo é mais uma intervenção a demonstrar a superioridade do treino intrevalado de alta intensidade para a perda de peso e, acima de tudo, para incutir um estilo de vida activo em pessoas sedentárias.



Sem comentários:

Enviar um comentário