11 de maio de 2011

Novas Pringles Multigrain: o que significa "Multigrain" afinal?


Já ouviram certamente falar das novas Pringles Multigrain, as batatas fritas com cereais, ou melhor, multi-cereais. Segundo a marca, as Pringles Multigrain “sucedem onde muitos falharam, dando-lhe um snack rico em cereais muito saboroso”. Por curiosidade, fui pesquisar a informação nutricional do produto e procurar a artimanha de engenharia alimentar usada desta vez. Estamos obviamente perante mais uma tentativa de “santificar” junk food com a aura do integral e manipular a percepção negativa em relação ao produto sem alterar praticamente nada.


Ora vejamos a composição nutricional e lista de ingredientes das Pringles Multigrain:



Ingredientes: farinha de arroz, óleo vegetal (um ou mais dos seguintes: óleo de milho, óleo de semente de algodão, óleo de soja e óleo de girassol), batatas desidratadas, farinha de milho, maltodextrina, amido de trigo, amido de arroz modificado, açúcar e triglicerol mono-oleato. Contém 2% ou menos de farinha de cevada em malte, farelo de trigo, feijão preto desidratado, sal e ácido cítrico.

Por cada porção, cerca de 16 “batatas” (28g), são fornecidas 140 kcal, 1 g de proteína, 16 g de hidratos de carbono (1g de açúcar e 1g de fibra) e 8 g de gorduras.

Quando ouvimos “multigrain”, no que pensamos? Em cereais obviamente, mas também em fibra. Ora, onde é que está a fibra aqui? Uma porção fornece-nos apenas 1 g de fibra, toda ela insolúvel. Pelos ingredientes listados, podíamos mudar o nome de “multigrain” para multi-farinhas. A fibra é adicionada à parte numa quantidade vestigial de farelo de trigo. Além disso, dificilmente lhes podemos chamar batatas fritas já que os dois ingredientes em maior abundância são a farinha de arroz e gordura vegetal. Arroz frito talvez?  

Mas a experiência torna-se mais peculiar quando comparamos as Pringles Multigrain às Pringles regulares. Os ingreditentes do produto original são os seguintes:

Ingredientes: Batatas desidratadas, óleo vegetal (um ou mais dos seguintes: óleo de milho, óleo de semente de algodão, óleo de soja e óleo de girassol), farinha de arroz, amido de trigo, maltodextrina, sal e dextrose.

Pelo menos já são batatas fritas. Mas vejamos a informação nutricional das Pringles normais:



Cada porção de 14 batatas (as mesmas 28 g), fornece 160 kcal, 1 g de proteína, 15 g de hidratos de carbono (1 g de fibra) e 11 g de gordura.

Portanto, a versão “Multigrain”, mais saudável, contém mais farinhas de arroz e cereais, triglicerol mono-oleato e uma pitada de farelo de trigo. Comparativamente, as Pringles regulares têm mais 15 % de calorias e mais 3 g de gordura por dose. Repare-se no entanto que ambas contêm exactamente a mesma quantidade de fibra, uns fenomenais 1 g.

Numa situação de “vida ou morte” qual das duas escolheria? Eu optava pelas Pringles regulares. Pelo menos são de facto batatas fritas.

Obviamente que nem umas nem outras são opções saudáveis que possam ser ponderadas. Este exemplo serve para ilustrar o perigo de escolher os nossos alimentos pela embalagem e publicidade, geralmente manipulativa e enganadora. O primeiro passo será sempre evitar alimentos altamente processados. O seguinte será ler atentamente a lista de ingredientes, tão ou mais importante que a composição nutricional, e optar pelo “menos mau”. Isto aplica-se especialmente aos produtos dietéticos e light, que muitas vezes não passam de versões mascaradas tão ou mais prejudiciais que os produtos regulares. Se quer comer Pringles Multigrain tudo bem. Mas não o faça a pensar que está a optar por um produto mais saudável.



3 comentários:

  1. A indústria da junk-food está repleta de exemplos destes, sendo o exemplo mais paradigmático a história mutante da margarina. Por isso é tão interessante o debate manteiga vs margarina, não pelos alimentos em si mas pelos paradigmas subjacentes. É claro que todas estas confusões só são possíveis numa ideologia que coloca nutrientes acima dos alimentos, o nutricionismo.

    ResponderEliminar
  2. Sérgio: em vez de batatas está escrito "baratas". Aqui: "A fibra é adicionada à parte numa quantidade vestigial de farelo de trigo. Além disso, dificilmente lhes podemos chamar baratas fritas já que os dois ingredientes em maior abundância são a farinha de arroz e gordura vegetal."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado pela correcção! Nutricionalmente, aposto que as baratas são muito mais interessantes até ;)

      Eliminar