24 de junho de 2011

Compreendendo os efeitos anti-epilépticos da dieta de Atkins


Alguns indivíduos com epilepsia não respondem ao tratamento com drogas convencionais, mas beneficiam de uma dieta cetogénica - um regime low-carb/high-fat tipo Atkins. Uma equipa de investigadores de Portland, liderada por Detlev Borson, identificou o mecanismo molecular responsável pelos efeitos anti-epilépticos das dietas cetogénicas em ratos.


A equipa descobriu que uma dieta cetogénica reduz os ataques através da inibição da expressão da proteína Adk, responsável pela remoção de um agente anti-epiléptico natural do cérebro, a adenosina. A revelância clínica destes dados são sublinhados pela descoberta de que o tecido cerebral de pacientes com epilepsia que falha em responder ao tratamento convencional apresenta níveis acrescidos de Adk.

Os autores sugerem que os seus resultados podem levar ao desenvolvimento de dietas anti-epilépticas menos restritivas e a fármacoterapias alternativas, potencialidades também evidenciadas pelo Dr. Robert Green no comentário que acompanha o artigo publicado na revista Journal of Clinical Investigation.





Susan A. Masino, Tianfu Li, Panos Theofilas, Ursula S. Sandau, David N. Ruskin, Bertil B. Fredholm, Jonathan D. Geiger, Eleonora Aronica, Detlev Boison (2011). A ketogenic diet suppresses seizures in mice through adenosine A1 receptors. J Clin Invest. June 23. doi:10.1172/JCI57813

ScienceDaily (June 23, 2011): Understanding the Antiepileptic Benefits of an Atkins-Like Diet.





Sem comentários:

Enviar um comentário