26 de julho de 2011

Proteína para emagrecer: whey vs soja


Com maior ou menor atrito, é reconhecido que as dietas hiperproteicas ajudam a perder ou controlar o peso corporal. Mas nem todas as proteínas são iguais. Um estudo recentemente publicado online no Journal of Nutrition, edição de Junho, revela, sem surpresa, que a whey é mais favorável quando o objectivo é manter a linha.

25 de julho de 2011

O tédio é a chave do sucesso?


Num editorial da edição de Agosto do The American Journal of Clinical Nutrition, Nicole Avena e Marc Gold sugerem que a vida moderna apresenta muitas escolhas deliciosas às refeições. Demasiadas para pessoas que respondem à comida como se fosse uma droga aditiva. O problema da obesidade poderia ser eficazmente combatido se as escolhas alimentares fossem limitadas.

22 de julho de 2011

As gorduras podem transformar-se em açúcares?


Que os hidratos de carbono podem ser convertidos em gordura no organismo humano, já todos sabemos. Mas transformar gordura em glicose é pura ficção. Este é um paradigma com décadas na bioquímica, que nunca encontrou um mecanismo análogo à via do glioxilato, característica das plantas, nos mamíferos e em particular no Homem. Mas na verdade, já nos anos 50 se contestava este dogma. O 14C de ácidos gordos marcados aparecia frequentemente como glicose, o que sugere a transformação glucogénica das gorduras. Mas os modelos matemáticos da estequiometria reaccional contestavam esta observação e depressa foi esquecida. Recentemente, um grupo de investigadores Alemães mostra, in silício, que não só a gluconeogénese a partir dos lípidos é possível no Homem, como existem várias vias que poderão actuar nesse sentido.

21 de julho de 2011

O maior McDonalds do mundo será na Aldeia Olímpica de Londres 2012


Acho um pouco irónico que o maior restaurante McDonalds do mundo seja precisamente na aldeia olímpica dos jogos de 2012, um espaço que deveria representar uma concepção de vida saudável e activa. Uma inspiração para o Homem comum. O restaurante terá 3000 m2, com 1500 lugares sentados. Vai empregar quase 500 pessoas para servir mais de 50 000 Big Macs e 100 000 doses de batatas fritas durante os Olímpicos de 2012.

Mas agora entendo a razão do McDonalds ser o parceiro número um do Comité Olímpico. Usain Bolt, o homem mais rápido à face da Terra, afirma que os Chicken McNuggets são a chave para o seu sucesso. Bolt disse, quando se referia ao dia em que ganhou o ouro nos Jogos de Pequim, “acordei por volta das 11:00 , fui ver televisão e comi uns Nuggets. Depois dormi mais umas horas. Comi mais uns Nuggets e fui direito para a pista”. Aposto que as "pepitas" que recebeu depois não foram de frango.

20 de julho de 2011

Food4Me, um novo projecto Europeu para implementação da nutrição personalizada


Quando o projecto de sequênciação do genoma humano foi lançado em 2000, introduziu-se a possibilidade de cuidados de saúde personalizados. Tal individualização poderia ser aplicada também ao ramo da nutrição para criar dietas à medida de cada um, de acordo com as suas bases genéticas e físicas. O Food4Me é um novo projecto financiado a nível  Europeu que investiga o potencial da nutrição personalizada. É o futuro a bater à porta.

18 de julho de 2011

O lado mais amargo dos adoçantes artificiais


Se existem dois inimigos públicos da boa forma são as gorduras e os açúcares, ou pelo menos são assim percepcionados pelas pessoas preocupadas em manter a linha. Mas isto coloca-nos um problema: muito poucos estão dispostos a sacrificar o prazer dos alimentos doces. Estamos fisiologicamente adaptados a uma componente hedónica e gratificante do açúcar, preditivo da elevada densidade energética de um alimento. Se é difícil e penoso alterar os nossos hábitos, a indústria oferece uma forma de os contornar: os adoçantes artificiais sem calorias. Estas substâncias têm sido aliás promovidas como uma estratégia para controlo de peso em substituição do açúcar e, em consequência, reduzir a densidade energética dos produtos que mais gostamos. Comer por prazer, sem consequências. Mas não parece ser o caso. Existem vários estudos epidemiológicos, ensaios clínicos no Homem e em animais que sugerem um efeito adverso dos edulcorantes no controlo do apetite e regulação neuroendócrina. Vamos então explorar um pouco esses trabalhos que raramente chegam a público, na tentativa de justificar a minha posição contra o uso de adoçantes artificiais na dieta.

15 de julho de 2011

Opinião do Dr. Hilary Jones sobre a restrição no consumo de ovos


Dedico este vídeo a todos os que me olham de lado quando digo que como em média 4 ovos por dia, todos os dias, e tenho o colesterol a 175 mg/dL. Juntem-lhes carne vermelha e óleo de coco (gordura saturada) para o cocktail esclerótico supremo, que parece perfeitamente inócuo no meu caso. Mas em relação aos ovos, aqui fica uma declaração pública de um médico da Royal Society of Medicine. Resumindo, "coma quantos ovos desejar, com a frequência que desejar". O colesterol da dieta nada tem a ver com os seus níveis no sangue, a não ser que sofra de hipercolesteremia familiar.

Ver também este artigo.

Crossfit Summer Weekend Trip - 23 e 24 de Julho, Vila Nova de Santo André


14 de julho de 2011

VII Congresso Internacional de Nutrição Clínica Funcional e VI Congresso Brasileiro de Nutrição Desportiva Funcional


Como sei que o blogue também é lido no Brasil, cá vai um alerta para um evento que irá decorrer proximamente. Entre os dias 15,16 e 17 de Setembro de 2011, a VP Consultoria Nutricional irá realizar no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo (SP) o VII Congresso Internacional de Nutrição Clínica Funcional e o VI Congresso Brasileiro de Nutrição Desportiva Funcional.

Informações detalhadas do congresso
Preços

13 de julho de 2011

"Boas Práticas de Perda de Peso", a posição do Conselho Cientifico da Plataforma Contra a Obesidade


O Conselho Científico da Plataforma Contra a Obesidade produziu um texto de consenso sobre cuidados a ter na perda de peso, tendo em conta a época do ano e a necessidade de utilizar práticas seguras para combater esta doença crónica. Embora sem explicitar, é óbvio que este documento surge em resposta ao programa da SIC "Peso Pesado". A Plataforma Contra a Obesidade e a ADEXO têm-se mostrado muito apreensivas desde início. Qual a vossa opinião?

Beber 6-8 copos de água por dia: “não é apenas disparate, mas um disparate desmistificado”


A recomendação para beber 6 a 8 copos de água por dia para prevenir a desidratação “não é apenas disparate, mas um disparate desmistificado”, argumenta a médica Margaret McCartney na edição online desta semana do British Medical Journal.

12 de julho de 2011

O exercício afecta a sinalização hormonal após uma refeição


Um trabalho a ser apresentado no próximo meeting anual da Society for the Study of Ingestive Behavior (SSIB) mostra que alterações na sinalização de hormonas relacionadas com a ingestão alimentar podem contribuir para o efeito benéfico do exercício no controlo do peso. As hormonas gastrointestinais são libertadas antes e após uma refeição para iniciar e terminar o evento. Os autores deste estudo quantificaram a libertação hormonal em resposta a uma refeição, antes e após uma sessão de exercício físico (corrida na roda). Nos ratos que mais corriam, a refeição aumentava os níveis de um inibidor do comportamento alimentar, a amilina. Após essa refeição, os mesmos ratos mostram um decréscimo mais rápido da grelina, um estimulante do apetite. A equipa demonstrou ainda que, em comparação a ratos sedentários, os animais que se exercitavam reduziam a ingestão de comida de forma mais robusta após tratamento com colecistocinina, uma hormona que limita o volume da refeição.

O Dr. Nu-Chu Liang diz, “os nossos novos resultados indicam que os efeitos benéficos do exercício para controlar o peso corporal podem ocorrer através da alteração da forma como uma refeição liberta hormonas gastrointestinais que regulam o comportamento alimentar, e também através da alteração da sensibilidade a estas mesmas hormonas”.

11 de julho de 2011

Dietas hiperproteicas aumentam a saciedade independentemente do número de refeições


Um estudo recentemente publicado na revista Obesity demonstra que refeições hiperproteicas melhoram o apetite e saciedade percepcionados em homens com peso excessivo e obesos durante uma intervenção hipocalórica (-750 kcal/dia). De acordo com o trabalho, uma dieta rica em proteína leva a maior saciedade bem como a uma redução do apetite ao final do dia e manhã, comparativamente a uma dieta convencional. Consumir 3 ou 6 refeições mostrou-se irrelevante para este efeito da proteína dietética.

8 de julho de 2011

O seu cocktail matinal de drogas e hormonas


Uma equipa espanhola e marroquina desenvolveu um método de cromatografia gasosa que permite quantificar uma série de drogas e hormonas presentes no leite. O leite de vaca é onde se encontram maiores concentrações destes compostos, que vão desde anti-inflamatórios, analgésicos e antibióticos administrados ao gado. Apesar de se tratarem de resultados extraídos de uma amostra pequena, não generalizáveis portanto, fique ciente do bónus que pode obter desse copo de leite matinal. Se não é bom para a saúde, ao menos parece sê-lo para as dores.

7 de julho de 2011

Quase todas as crianças consomem pizzas e refrigerantes pelo menos quatro vezes por semana


Mais de 90% das crianças portuguesas comem pizzas ou batatas fritas de pacote e bebem refrigerantes pelo menos quatro vezes por semana e apenas 0,1% consome água diariamente.

Crianças portuguesas são das que mais têm excesso de peso na Europa


Um terço das crianças portuguesas tem excesso de peso e Portugal é um dos países da Europa com piores indicadores na obesidade infantil, segundo um estudo que vai ser apresentado esta semana numa conferência internacional.

6 de julho de 2011

A redução no consumo de sal para prevenção das doenças cardiovasculares (uma Cochrane Review)


Um dos momentos mais polémicos na curta existência deste blogue foi certamente quando comentei um artigo que comete sacrilégio. E pecou porque sugeriu que o menor consumo de sal poderia favorecer a resistência à insulina. Se há coisa que ninguém dúvida é que o sal faz mal e deve ser reduzido. O consumo elevado de sal nas sociedades modernas, que ronda as 10 g/dia, é uma das principais causas da elevada incidência de hipertensão. É lógico pensar que ao reduzirmos o sal da dieta vamos atenuar o risco de doenças cardiovasculares e morte. Mas uma Cochrane Review acabadinha de sair desafia esta relação. Taylor verificou que, embora a redução no consumo de sal tenha um impacto marginal da tensão arterial, não tem influência na mortalidade. Na verdade, poderá até aumenta-la em pacientes com insuficiência cardíaca.

Terão a gordura e a cannabis algo em comum? A evolução não perdoa

 

Imagine-se num ambiente de escassez e em que o alimento tem um elevado custo energético associado à sua obtenção. Estamos a falar obviamente dos primórdios evolutivos da nossa espécie e dos pequenos oásis civilizacionais que ainda persistem. Os mamíferos vêem uma vantagem adaptativa nos alimentos ricos em gordura, essenciais ao organismo mas raros em ambientes naturais. O óleo e a manteiga não nascem nas árvores. Os animais selvagens têm uma percentagem de gordura bastante reduzida quando comparados à criação intensiva. É extremamente importante que existam mecanismos que assegurem o consumo adequado de gordura quando esta é rara. Mas agora imagine estes mecanismos adaptativos da espécie humana enquadrados no nosso ambiente moderno, em que tudo é abundante e acessível, especialmente a comida processada e rica em gordura, farinhas e açúcares. O que um dia foi benéfico, funciona hoje contra nós.

Uma equipa de investigadores liderada por Daniele Piomelli descobriu que as gorduras activam um mecanismo biológico estimulante do apetite e “comportamentos de glutão”. As células do intestino superior produzem endocanabinoides, substâncias análogas ao THC da cannabis e que, como muitos jovens saberão, provocam uma fome voraz e desejos impulsivos por junk food.

5 de julho de 2011

Exercício engarrafado


Por mais estranho que pareça, um novo estudo publicado no The FASEB Journal sugere que o “ingrediente saudável” do vinho tinto, o resveratol, pode prevenir os efeitos negativos que os voos espaciais (gravidade nula) e os estilos de vida sedentários têm nas pessoas. O relato descreve experiências em ratos que simularam a ausência de gravidade espacial, na qual o grupo suplementado com resveratol não desenvolveu resistência à insulina e não perdeu densidade mineral óssea, ao contrário do grupo controlo.

4 de julho de 2011

Mudando o paradigma do batido pós-treino: serão os hidratos de carbono mesmo necessários?


Se existe um dogma em nutrição desportiva é que cada sessão de treino deve ser rematada com um batido de proteína e hidratos de carbono (CHO). A whey é a fonte proteica preferencial e o seu efeito anabólico foi já comprovado por diversos estudos no Homem e em modelos animais. A fonte de hidratos de carbono é já mais controversa, mas procura-se um alimento de fácil digestão e rápida absorção, como a maltodextrina, amilopectina/Vitargo ou mesmo dextrose. São geralmente alegados dois motivos para a adição de glícidos ao batido pós-treino: 1) reposição do glicogénio e 2) fomentar um balanço proteico positivo através do efeito anabólico e anti-catabólico da insulina. Embora o primeiro seja favorável em termos de rendimento, não tem grande sentido em modalidades de cariz estético e recreativo. Mas se o segundo for verdadeiro, teríamos o aumento de massa magra que todos ambicionam, seja para potenciar a performance ou apenas no culto do físico. Um estudo recente encabeçado por Aaron Staples desafia esse princípio e mostra que a insulina não é aditiva ou sinérgica à proteína quando os hidratos de carbono são co-ingeridos após o treino. Na verdade, eles são perfeitamente dispensáveis.

1 de julho de 2011

19º Congresso Português de Aterosclerose


A Sociedade Portuguesa de Aterosclerose vai organizar, dias 21, 22 e 23 de Outubro de 2011, em Évora, o 19º Congresso Nacional de Aterosclerose. "Lípidos e risco cardiovascular" é um dos temas a ser abordado, com uma sessão prática às 19:00 de dia 21 e 22: "Prova de vinhos, azeites, queijos e enchidos". Este ano o programa está deveras interessante.

Mais informações no site oficial do evento.

Planet of the Apemen: Battle for Earth - Parte 2, Neanderthal


E agora a conclusão do docu-drama da BBC Planet of the Apeman: Battle for Earth. O segundo e último episódio volta 35 000 anos atrás na História e conta o encontro do Homo Sapiens com o Homo Neanderthalensis, uma espécie em declínio na Europa. O primeiro episódio, Homo Erectus, encontra-se igualmente no blogue. Recomendo vivamente este documentário, especialmente para todos aqueles que, como eu, não têm grandes bases em antropologia mas se deliciam com a história evolutiva humana.

O número de refeições é o principal responsável pelo aumento do teor energético da dieta Americana


Pensa-se que o teor energético da dieta aumentou substancialmente nos últimos 30 anos e alguns estudos apontam para um valor perto das 500 kcal/dia. Este aumento poderá estar obviamente ligado ao fenómeno da obesidade crescente. Sabemos também que o decréscimo nos níveis de actividade física não explicam esta tendência. Se estamos a comer mais e pior, qual o motivo? Aumento das porções? Aumento da densidade energética? Segundo um estudo recente publicado há dias no PLoS Medicine, o aumento no número de refeições diárias poderá ter dado o maior contributo para o valor calórico acrescido da dieta actual.

Prevalência da diabetes entre 1980 e 2008 no Mundo


Um novo estudo internacional alargado, financiado pela fundação Bill e Melinda Gates, analisou os dados globais da diabetes desde 1980 e mostra que o número de adultos com a doença chegou aos 347 milhões em 2008, mais do dobro dos verificados em 1980 e consideravelmente mais do que as últimas estimativas para 2010 de 285 milhões. A investigação revela também que a prevalência de diabetes, avaliada pelos níveis médios de glicose no sangue, aumentou ou manteve-se estável nas últimas 3 décadas em praticamente todas as regiões do Mundo.