20 de julho de 2011

Food4Me, um novo projecto Europeu para implementação da nutrição personalizada


Quando o projecto de sequênciação do genoma humano foi lançado em 2000, introduziu-se a possibilidade de cuidados de saúde personalizados. Tal individualização poderia ser aplicada também ao ramo da nutrição para criar dietas à medida de cada um, de acordo com as suas bases genéticas e físicas. O Food4Me é um novo projecto financiado a nível  Europeu que investiga o potencial da nutrição personalizada. É o futuro a bater à porta.


Os estudos mostram que as pessoas respondem diferencialmente a vários nutrientes. Por exemplo, os ómega-3 parecem mais benéficos em certos indivíduos com um background genético favorável. O mesmo se passa com a eterna discussão low-fat vs low-carb, o nutricionismo no seu exponente máximo. Temos as nossas diferenças e a forma como respondemos à nossa dieta também varia. O aconselhamento dietético formatado e cego que vigora actualmente não é a melhor forma de abordar o probema e melhorar a saúde pública. Em vez de se dirigir a toda a população, a nutrição personalizada dirige-se ao indivíduo e considera as suas características físicas e genéticas. Embora se trate de um conceito promissor, não tem atingido as expectativas e, apesar dos esforços de algumas companhias o sucesso tem sido limitado.

O Food4Me irá investigar a possibilidade de engendrar melhores dietas baseadas no genótipo de cada um. Um grupo de especialistas de renome irá examinar a aplicabilidade da nutrigenómica (estudo do efeito dos alimentos na expressão génica) para a nutrição personalizada. Como podemos usar o nosso conhecimento da comida e dos nossos genes para desenhar melhores dietas, mais saudáveis e mais individuais?

O projecto Europeu coordenado pelo professor Mike Gibney do Institute of Food and Health, Universidade de Dublin, vai considerar todos os aspectos da nutrição individualizada, desde a investigação da percepção pública até à produção de tecnologias para implantação e pesquisa da expressão genica condicionada pela dieta. “Ao aplicar esta abordagem holística esperamos combinar investigação de ponta e fomentar um passo significativo na disciplina da nutrição personalizada”, disse Gibney.

Uma componente do projecto é a investigação da eficácia desta abordagem dietética em centros múltiplos pela Europa. O estudo irá oferecer diferentes níveis de aconselhamento, optimizados para as características do indivíduo ou sem personalização. Mais de 1000 pacientes serão recrutados de oito países Europeus para participar no projecto.

Todos os resultados serão consolidados em modelos de negócio e criação de valor para o desenvolvimento, produção e distribuição de alimentos personalizados. Isto será testado no decurso do projecto de forma a avaliar a praticabilidade das abordagens de nutrição individualizada no futuro. As questões legais e éticas não serão esquecidas e ajudarão a moldar testes futuros com o consumidor comum.

Eu acredito que o futuro da nutrição passará por aqui, Uma dieta adaptada ao perfil genético e metabólico de cada um, bem diferente da abordagem populacional e formatada que tem sido adoptada até aqui com resultados tão medíocres. O que nos separa desse futuro? Investimento principalmente, mas também alguns interesses corporativos que entram em conflito com o peso da bioquímica e genética nesta abordagem personalizada. Será preciso reestruturar a profissão de nutricionista ou condená-los à extinção.





Personalized Nutrition: New EU-Funded Project Changing the Way We Eat
AlphaGalileo
The European Food Information Council

3 comentários:

  1. Gostava de ser um dos selecionados :D

    ResponderEliminar
  2. O "futuro" da alimentação humana, se é que ele existe, está no seu passado.

    ResponderEliminar
  3. O passado e a nutrigenómica não são mutuamente exclusivos. Como diz o Cordain, a dieta está escrita nos nossos genes. Existirá algo mais compatível?

    ResponderEliminar