25 de julho de 2011

O tédio é a chave do sucesso?


Num editorial da edição de Agosto do The American Journal of Clinical Nutrition, Nicole Avena e Marc Gold sugerem que a vida moderna apresenta muitas escolhas deliciosas às refeições. Demasiadas para pessoas que respondem à comida como se fosse uma droga aditiva. O problema da obesidade poderia ser eficazmente combatido se as escolhas alimentares fossem limitadas.


Os seus comentários surgem em resposta a um trabalho recente a sugerir que as pessoas obesas perdem interesse e comem menos de alimentos aos quais são expostos repetidamente.

"Claramente, os planeadores das refeições escolares e os responsáveis de saúde pública devem notar que a diversidade no menu não é necessariamente uma virtude, e de facto pode promover o consumo excessivo e um aumento do índice de massa corporal", escrevem Avena e Gold.

O estudo em consideração, liderado por Leonard Epstein da Universidade de Buffalo, analisou o consumo alimentar de mulheres obesas e não-obesas que receberam uma refeição de macarrão com queijo todos os dias durante 5 dias, ou uma vez por semana durante 5 semanas. As mulheres no grupo que ingeriu a mesma refeição em 5 dias consecutivos reduziu espontaneamente a quantidade de alimento, independentemente da massa corporal. O grupo com maior variedade de escolha não alterou o padrão alimentar.

"Variedade em escolhas alimentares apelativas parece ser importante a determinar se a habituação e tolerância pode ou não desenvolver-se", disseram Avena e Gold. "Mas no nosso ambiente alimentar moderno, a monotonia é rara".

O efeito viciante da comida sugere que alimentos de grande palatabilidade potenciam o mesmo tipo de expressão génica e libertação de químicos no cérebro associados a drogas. Mesmo os ratos que têm excesso de açúcar nas suas dietas exibem sinais de ressaca quando retornam aos seus regimes normais.

"Nem todos os obesos são viciados em comida", disse Avena. "Mas os dados indicam mesmo que alimentos muito apelativos, ricos em açúcar e gordura, podem ser difíceis de recusar pelas mesmas razões que é difícil cessar o abuso de drogas. Isto significa que podemos tirar lições da literatura sobre drogas quando consideramos formas de reduzir o consumo de certos alimentos de grande palatabilidade". "Está a tornar-se claro que novas terapias farmacológicas para o excesso de apetite podem ser tratamentos já estabelecidos para o abuso de drogas".




Variety and hyperpalatability: are they promoting addictive overeating?
Abundant Food Choices May Overwhelm Brain, Reinforce Overeating, UF Researchers Say
Boredom key to diet success

1 comentário:

  1. Via Sérgio.

    Parabéns pelo artigo, tal como todos. Vai muito de encontro ao que penso e pratico. Normalmente as pessoas questionam sempre porque como quase sempre a mesma coisa. Quando o plano alimentar é bom..., não se muda (claro, que se deve ser fanático..., mas manter a estrutura).

    Obrigado pelo blog.
    David

    ResponderEliminar