16 de agosto de 2011

A "verdade" sobre os açúcares


O Yoni Freedhoff chamou-me a atenção no seu blogue para um artigo recente publicado no WebMD sobre os açúcares. Sob o título de “The Truth About Sugars” e dirigindo-se especialmente às crianças, o texto diz-nos de forma muito sintética que,



  • O açúcar não faz mal aos dentes a não ser que seja comido às colheradas;
  • O consumo de açúcar não está relacionado com o desenvolvimento de doenças crónicas ou distúrbios comportamentais como a hiperactividade em crianças;
  • Todos os açúcares são iguais;
  • As necessidades de açúcar das crianças são semelhantes às dos adultos porque “estão a crescer”.


Como é provável que o artigo não se mantenha online por muito tempo, transcrevo-o no final.

Pelos vistos não há problema em comer açúcares e estava enganado este tempo todo. Pior que isso, andei a enganar os leitores deste blogue. O açúcar não é mau! Nada tem a ver com o desenvolvimento e progressão das doenças metabólicas modernas. É apenas vítima de uma campanha de difamação por parte da comunidade científica, baseada em meras centenas de publicações que afinal estão erradas.

Mas depois de ler o artigo no WebMD, descobrimos quem o escreveu e então fiquei muito mais descansado. É da autoria da Kellogg’s e a plataforma descarta qualquer responsabilidade em relação aos conteúdos do texto.

É triste ver que a linha editorial de um site supostamente credível e fidedigno cedeu à manipulação da indústria e nem sequer escrutina o que os seus parceiros publicam. O público é relegado para segundo plano quando os interesses económicos entram em jogo. Chamem-me naïve se quiserem mas penso que quando alguém publica o que quer que seja existe uma responsabilidade moral de isenção e honestidade.

The truth about sugar

Sugar gets a lot of bad press, and people are frequently being told to "watch out for sugar." But why is this? Is it detrimental to health? Let's see what the experts say about some common sugar myths.

Myth #1

Sugar is always responsible for tooth decay

The truth

Breakfast cereals eaten with milk, even pre-sweetened varieties, do not increase the risk of tooth decay. 1

This is most likely due to the fact that they are eaten as a meal and not constantly throughout the day. The more time that teeth are exposed to sugar, the more likely they are to get cavities. Also, the calcium in milk may help stop cavities from forming.1

Myth #2

Sugar is bad for you

The truth

A panel of world health experts recently reviewed the scientific evidence and concluded that a high sugar intake is not related to the development of heart disease, diabetes, high blood pressure or cancer.

Sugar was also not connected to behavioural problems like hyperactivity in children.2-3 As well as this, the panel did emphasise the beneficial role that carbohydrates like sugars play in health.

Myth #3

Some sugars are more nutritious than others

The truth

All sugars provide approximately 4 calories per gram. And despite popular belief, no type of sugar is more nutritious than any other.

No matter what food sugar starts in — a glass of milk, a teaspoon of honey or a bowl of cereal — it is basically broken down by the body in the same way. It is converted into glucose, which can be used by the brain, muscles and organs.

Myth #4

Children should eat a lot less sugar than adults

The truth

Children do have different needs to adults, so they have different Guideline Daily Amounts (GDAs) for sugar. But not as different as you might think.

Because they are active and growing, children are not vastly different to the "average person" used on the front of the pack. In fact, for sugar, it is very similar indeed.

Rather than using two sets of figures on every label, GDAs are based on the average person. This helps make them more consistent when comparing products.


1. Sigrid A Gibson (2000) Breakfast cereal consumption in young children: associations with non-milk extrinsic sugars and caries experience: further analysis of data from the UK National Diet and Nutrition Survey of children aged 1.5±4.5 years, Public Health Nutrition: 3(2), 227-232
2. FAO/WHO (1998). Carbohydrates in Human Nutrition. Paper No. 56
Palou et al (2009) Central aspects of sugars in human nutrition, Obesity Reviews 10 s1 pp1-58

*9% GDA per 30g bowl

© 2011 Kellogg Company. All rights reserved.




2 comentários:

  1. Eu considero que o autor do artigo tem razão,e o açúcar refinado não é prejudicial à saúde,assim como o veneno para ratos o não é também.
    Simplesmente tudo vai da quantidade ingerida,e aí o autor parece não se comprometer,esperto não?

    ResponderEliminar
  2. Eu acredito que muito açúcar é mortal, mas isto é mais uma crença que outra coisa qualquer. O Dr. Ray Peat acredita que o açúcar é um substância relativamente "limpa" quando comparada com, por exemplo, os amidos neolíticos. Não tenho capacidade para avaliar, mas de qualquer forma deixo aqui dois artigos contraditórios, que são sempre um bom exercício para quem gosta de reflexão:

    http://raypeat.com/articles/articles/glycemia.shtml
    http://180degreehealth.blogspot.com/2011/05/ray-peat-sugar-vs-starch.html

    ResponderEliminar