18 de abril de 2012

O consumo de café segundo Charles Poliquin



Uma questão muito comum entre os entusiastas do fitness é se o café deve ou não fazer parte da dieta. O reconhecido treinador Charles Poliquin responde a essa pergunta e fala-nos das diferenças entre "café" e "cafeína". Segundo Poliquin, o café pode ser extremamente benéfico desde que sejam satisfeitas algumas condições. O café tem de ser orgânico, de cultura biológica. As formas mais convencionais estão carregadas de pesticidas e outros químicos potencialmente perigosos para a saúde. Além disso, ele deve ser preparado de forma apropriada, por filtração e não como espresso, conseguindo-se assim uma maior concentração de polifenóis antioxidantes. Poliquin recomenda também que o café seja tomado até às 16:00 e uma hora antes do treino. Ele aumenta a força e velocidade de contracção muscular, poupa glicogénio e aumenta a concentração e focus na sessão de treino. É importante no entanto deixar claro que bebidas cafeínadas como o Red Bull não são um substituito do café. Elas não contêm os antioxidantes presentes no café e, como tal, são calorias vazias que não nos trazem qualquer benefício acrescido. Segue-se o vídeo.



3 comentários:

  1. Muito bom! É sempre bom saber a opinião dos mais entendidos e ainda mais sobre um assunto que gera tantas dúvidas.

    ResponderEliminar
  2. Boa noite! Gostei do vídeo, no entanto o café tem um alto índice insulinémico, o que interrompe a cetose das gorduras. No contexto de uma dieta de baixo índice glicémico rica em proteína e gordura poderá ser contra-producente, uma vez que os níveis altos de insulina fazem armazenar não só açúcar, mas também gordura. Aliás,esse efeito também se verifica com os lacticínios que não foram separados do soro de leite: queijo fresco, requeijão, iogurte e leite. Níveis altos de insulina a seguir ao pequeno-almoço e ao almoço, com o cafezinho da ordem...não fiquei convencido.

    ResponderEliminar