18 de outubro de 2012

Tamanho dos pratos cresceu 36% entre 1970 e 2007



O desperdício alimentar é um dos principais problemas mundiais, sobretudo numa altura em que o preço dos alimentos se prepara para disparar, consequência de várias crises climáticas em 2011. Este problema, porém, ganha toda uma nova dimensão quando falamos do mercado norte-americano. De acordo com a especialista em alimentação Dana Gunders, os últimos quarenta anos foram marcados, neste sector, por um crescimento de tudo: doses nos restaurantes, supermercado e, imagine-se, até do tamanho dos pratos.

(Texto original em Greensavers.sapo.pt)
De acordo com Gunders, o tamanho dos pratos, nos Estados Unidos, cresceu 36% entre 1970 e 2007, um crescimento que acompanhou toda a tendência de abundância alimentar do País. Por outro lado, um pedaço de pizza, por exemplo, aumentou as calorias em 70% entre 1982 e 2002, enquanto as porções servidas nos restaurantes chegam a ter entre duas a oito vezes o tamanho standard recomendado pela USDA e FDA.
Mas há mais dados curiosos. Em 1995, quando a McDonald’s lançou as batatas fritas, a porção original tinha 210 calorias. Hoje, o que é conhecido por uma dose pequena de batatas fritas tem 610 calorias. O seu peso também triplicou, acompanhando as calorias.
“Uma simples encomenda de batatas fritas nos Estados Unidos é 37% maior que a maior porção disponível no Reino Unido. São muitas batatas fritas”, explica Gunders.
Toda esta quantidade de comida disponível está directamente relacionada com o desperdício alimentar. Em média, os clientes de restaurantes deixam 17% das suas refeições intactas, sendo que, em 55% das vezes, estes restos não são levados para casa.
O problema é que as pessoas tendem a reagir mal quando a porção que lhes é colocada no prato não é, digamos, exagerada. “Considerando que utilizamos 50% das nossas terras e 80% da nossa água potável por ano a cultivar alimentos, [é ridículo que] 40% destes nunca sejam comidos”, continua Gunders.
Nas casas particulares, as porções terão aumentado 33,2% desde 1996. Ou seja, uma receita que antes era cozinhada para dez, hoje serve para sete.
Leia mais dados interessantes sobre desperdício alimentar no texto do Grist. E se se interessa pelo tema, passe a seguir o blog de Dana Gunders, o Switchboard.

Sem comentários:

Enviar um comentário