21 de novembro de 2012

O chocolate faz-nos mais espertos e aumenta a possibilidade de ganhar um Nobel


Que o chocolate tem propriedades antioxidantes fantásticas eu já sabia. Mas o que eu não sabia é que quanto mais chocolate comer maior a probabilidade de ganhar um Prémio Nobel. E aqui os suíços estão muito à frente...


Os flavonóides favorecem a função e desempenho cognitivo. Uma vez que o cacau é uma fonte riquíssima destes compostos, um investigador de Nova Iorque decidiu verificar se o consumo de chocolate estava associado à inteligência. Para tal estudou a relação entre um indicador de génios, o número de prémios Nobel em cada país, e o consumo de chocolate. Os resultados falam por si: o chocolate está fortemente correlacionado com o número de prémios Nobel. Parece também existir um "limiar para o efeito" de 2 Kg/ano per capita e que para ter mais um prémio Nobel em Portugal precisamos de consumir mais 400 g/ano per capita. Para chegar perto dos Suíços cada um de nós teria de consumir mais 10 kg/ano, um pequeno esforço para melhorar a projecção internacional do nosso país. Alinham?



Mas há mais! O autor ataca fortemente o comité que atribui os prémios com acusações de patriotismo. Dado o consumo de chocolate na Suécia de 6,4 Kg/ano per capita, seriam de esperar 14 prémios Nobel. Ora, este país conta já com 32 premiados. Um outlier que levanta indícios de fraude ou pelo menos um grande bias...

Para sermos intelectualmente honestos, uma correlação não significa causalidade, mas apenas que uma variável pode influenciar a outra ou vice-versa. Ou então não tem nada a ver e é apenas um artefacto estatístico... No entanto, é curiosa esta associação que valeu ao autor uma publicação na mais prestigiada revista de medicina, o New England Journal of Medicine.

Artigos relacionados:
O poder do chocolate

Referência:
Messerli F. (2012). Chocolate consumption, cognitive function, and Nobel Laureates. New England Journal of Medicine. 367:1562-1564.

5 comentários:

  1. Não deixam de ser dados curiosos, independentemente da causalidade.

    Eu alinho! :)

    Aliás, sempre contribui bastante para "melhorar a projecção internacional do nosso país" nesta área. Vou continuar a fazê-lo com bastante "convicção" :P

    ResponderEliminar
  2. Atenção...

    1.
    A quantidade de chocolate vendida na Suíça não corresponde ao volume consumido por Suíços. O país tem imenso turismo e fama por ter um dos melhores chocolates do mundo... e isso dispara as vendas. Só no aeroporto em passageiros a passageiros de passagem vende-se imenso!
    Isto retira uma boa parte da causa-efeito que se pode depreender por esse estudo.

    2.
    Há que distinguir entre chocolate e cacau... sendo que uma boa parte do chocolate contem pouco cacau (entre 20% a 30%) e a grande maioria (diria que mais de 95%, correndo o risco de estar errado) é industrial. O cacau industrial provem de várias culturas e muitas delas de fraca qualidade. De forma a manter um sabor agradável e homogéneo o cacau é sujeito a vários tipos de tratamento o que, por sua vez, destrói uma boa parte das suas qualidades.

    Mudando de assunto... já provaste os do Cláudio Corallo?
    :)

    ResponderEliminar
  3. Estava a acompanhar o texto com os postulados de hill em mente...qd chego ao último parágrafo ;) é exatamente por isto q gosto de acompanhar o blog, espírito crítico à ciência mal conduzida ou mal interpretada :))

    ResponderEliminar