28 de dezembro de 2012

Entervista a Staffan Lindeberg


Já tem algum tempo mas vale a pena ver e colocar nos arquivos deste blogue. Entrevista na RTP 2 ao médico sueco Staffan Lindeberg, em Portugal para uma conferência promovida pela Nutriscience. Conhecido pelo seu trabalho de doutoramento em Kitava, Lindeberg é reconhecido como um dos principais mentores do estilo de vida Paleo, numa corrente com que me identifico mais do que a veiculada por essa internet fora...



 

3 comentários:

  1. Não deixei de reparar que, para um espetador desatento ou desinformado, esta reportagem defende uma baixa ingestão de gordura e um elevado consumo de FRUTA e vegetais para manutenção de uma saúde óptima. De facto, em Kitava come-se pouca gordura e proteína e muitos hidratos de carbono, mas isto é uma excepção no universo dos povos pré-agriculturais, sendo que a maioria tem uma ingestão elevada de gordura e proteína. Em suma, esta curtíssima reportagem parece abordar superficialmente o essencial e essencialmente o politicamente correcto.

    ResponderEliminar
  2. Caro senhor, esta reportagem não pretende defender nada, até porque a jornalista não é nutricionista, não tem posição sobre este assunto, nem noção do que é politicamente correto nesta área. A reportagem reflete apenas aquilo que o investigador transmitiu, sobre aquele estudo específico que fez. Quanto ao facto de este tipo de alimentação estar ou não em linha com os povos pré-agriculturais, a expressão paleo diet, refletida no trabalho de Staffan Lindberg, fala por si. Se considera que os dados que o investigador apresentou não refletem a dieta paleolítica, terá de argumentar com o próprio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exma Sra Dora Alexandre,

      Antes de mais, quero desejar-lhe um feliz ano novo e agradecer-lhe por contribuir para este blog extraordinário. De facto, não devo fazer afirmações como "esta reportagem defende"; poderia, no entanto, ter escrito "esta reportagem parece defender" ou "quem nunca ouviu falar em Paleodieta ou Dieta do Paleolítico, poderá achar, depois desta reportagem, que a mesma consiste numa baixa ingestão de gordura, elevada ingestão de hidratos de carbono, fibras e fruta, etc". Os dados que o investigador apresentou estão em linha com a dieta dos habitantes da ilha de Kitava, cujas práticas alimentares estão enquadradas no que vulgarmente se chama Dieta do Paleolítico, tal como as dietas dos Masai ou dos Inuit. A diferença é que estes dois povos não ingerem nenhuma fruta, fibra ou vegetais, sendo que obtêm a totalidade das suas calorias a partir de proteína e gordura animal.
      Em suma, os dados do investigador estão correctos, mas a reportagem não aborda o universo da paleodieta, mas sim um caso específico que praticamente parece não contrariar alguns dogmas da nutrição tais como o suposto papel benéfico da elevada ingestão de fibra, frutas, hidratos de carbono e baixa ingestão de gordura para manutenção de uma saúde óptima.

      Com os melhores cumprimentos,
      Daniel Matos




      Eliminar