13 de dezembro de 2012

O risco de obesidade infantil pode ser previsto à nascença



Uma simples fórmula pode prever à nascença a probabilidade de ser uma criança obesa, de acordo com um novo estudo publicado no PLoS ONE. O cálculo, disponível online, estima o risco de obesidade baseado no peso do bebé, IMC dos pais, número de pessoas no agregado familiar, status profissional da mãe e hábitos tabágicos na gravidez. Os investigadores desenvolveram esta fórmula com dados de 4000 crianças Finlandesas. "O teste é pouco moroso, não necessita de análises laboratoriais e não custa absolutamente nada", disse o Professor Froguel, líder deste estudo, que propõe este método como um indicador de risco que permita assumir uma postura preventiva desde cedo para a obesidade infantil.


Anita Morandi, David Meyre, Stéphane Lobbens, Ken Kleinman, Marika Kaakinen, Sheryl L. Rifas-Shiman, Vincent Vatin, Stefan Gaget, Anneli Pouta, Anna-Liisa Hartikainen, Jaana Laitinen, Aimo Ruokonen, Shikta Das, Anokhi Ali Khan, Paul Elliott, Claudio Maffeis, Matthew W. Gillman, Marjo-Riitta Järvelin, Philippe Froguel. Estimation of Newborn Risk for Child or Adolescent Obesity: Lessons from Longitudinal Birth CohortsPLoS ONE, 2012; 7 (11): e49919 DOI: 10.1371/journal.pone.0049919

Sem comentários:

Enviar um comentário