12 de fevereiro de 2013

Menos tempo, mais resultado


5 comentários:

  1. Respostas
    1. Olá Filipe,

      Não fui eu que fiz a ilustração mas julgo que o artigo é este:

      Irving BA, Davis CK, Brock DW, Weltman JY, Swift D, Barrett EJ, Gaesser GA, Weltman A. "Effect of exercise training intensity on abdominal visceral fat and body composition".
      Med Sci Sports Exerc. 2008 Nov;40(11):1863-72. doi: 10.1249/MSS.0b013e3181801d40.

      Eliminar
  2. Só é necessário termos em conta o princípio da progressão do treino, de resto concordo completamente!!

    Parabéns pelo trabalho!!

    ResponderEliminar
  3. Bom dia. Posso aqui deixar o meu testemunho, se é que serve de algo, mas acho que devo partilhar. Pela minha experiência, comecei a fazer treinos de 30 min por dia com intensidade média/alta(e nem sempre todos os dias), ao fim dos quais me sinto de facto cansada (alterna 3 min de exercícios de força, que incluem em simultâneo exercícios com grandes e pequenos músciulos (espero não estar a dizer nenhuma barbaridade), 2 de cardio e 1 de abs, e claro, inclui aquecimento e alongamentos) e de início de novembro até agora, mantendo a mesma alimentação que estava a fazer (cuidada), já perdi cerca de 7 kg, e sobretudo ao nível do volume. A título de curiosidade, experimentei este fds a fazer um treino de um vídeo que há tempos me custava imenso a fazer, de 1 hora, alternando aeróbica com exercícios localizados, e cheguei ao fim incrivelmente bem, não me custou nada. Obviamente que cada um tem de encontrar as modalidades que mais se adequem à sua condição física e aos seus gostos pessoais, mas pela minha experiência tem sido a melhor opção para atingir os meus objetivos.

    ResponderEliminar
  4. Penso ainda não ter visto neste blog factos sobre o treino intervalado de alta intensidade. Tendo este blog o respeito que já tem, penso que poderia ser usado para acabar com a pandemia dos hamsters de ginásio!:)

    ResponderEliminar