13 de fevereiro de 2013

Qualidade dos suplementos de vitamina D


Nós queremos comprar os suplementos o mais barato possível, mas isso também tem o seu preço. O preço da falta de regulamentação e controlo de qualidade dos produtos que invadem o mercado diariamente. Os suplementos alimentares, por norma, não são sujeitos à mesma exigência que os medicamentos farmacêuticos no que respeita a pureza, segurança, e doseamento. Quem pensa que ao comprar um suplemento está a obter exactamente o que vem descrito na embalagem, desengane-se. Com algumas marcas sim, mas não com a maioria. Na verdade, muitas nem sabem ao certo a origem e qualidade da matéria-prima já que apenas são responsáveis pela embalagem e rótulo. E é às unidades produtoras que devemos exigir o GMP (Good Manufacturing Practices), uma norma que dará mais confiança ao consumidor final que procura qualidade. O caso que agora vos apresento é apenas um entre muitos.


Esta história toda para vos contar o seguinte. Uma equipa Norte-Americana publicou agora resultados da sua análise a suplementos de vitamina D. Os resultados indicam que naquela amostra as doses variavam entre 50% e 140%. E a variação não foi apenas entre marcas, mas também entre unidades da mesma embalagem. É natural que um suplemento com 50% do princípio activo não sirva para nada nas doses recomendadas.

Claro que este estudo é limitando pela natureza da sua amostra, mas não nos enganemos... Infelizmente o mercado de suplementos é assim que funciona. Pouco rigor na qualidade e segurança. Mas também nos cabe a nós exigir esse rigor, optando pelos produtos que oferecem mais garantias e controlo da dosagem. Esses são os GMP, USP verified, ou pelo menos a apresentação de análises periódicas independentes em conjunto com certificação ISO. Algumas marcas já o têm por iniciativa própria. Procure-as. Quando os consumidores o fizerem, as outras ou apanham o comboio ou estão condenadas à extinção. A vitamina D é apenas um exemplo...

12 comentários:

  1. e uma boa recomendação para suplemento de vit D seria?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E para Omega 3 tens alguma sugestão?

      Eliminar
    2. Sérgio

      O Vigantol é de venda livre ou é necessário receita médica para o comprar na farmácia?

      Eliminar
    3. Poderá comprar facilmente na farmácia

      Eliminar
    4. Ou seja, não é necessário receita médica. Já agora qual o seu preço?
      E em termos de duração da toma, por quanto tempo recomenda a sua utilização? 1, 2 anos, até os valores estabilizarem?

      Eliminar
  2. E óleo de fígado de bacalhau? O que uso compro a uma amiga minha farmacêutica. Não é para venda ao público e vem em frascos de um litro com um rótulo detalhado a indicar a quantidade de vitamina D e A. Tomo uma colher de sopa por dia e penso que assim junto vitamina D, A e Ómega 3. É usado na farmácia para servir de substrato na preparação de vários fármacos. Fica-me a cerca de 20 euros o litro, o que é óptimo.
    Achas que estou a comprar gato por lebre ou que é uma boa aquisição?

    ResponderEliminar
  3. Já conhece os suplementos FDC? Tem alguma opinião formulada sobre os mesmos? Sei que esses têm GMP.

    Cumps

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Carina,

      Não conheço esses em particular mas se têm GMP isso dá uma margem de segurança. Eu confiaria.

      Cumps

      Eliminar