6 de março de 2013

Mais sobre os benefícios do peixe, e talvez não tanto de alguns suplementos



Os benefícios dos ácidos gordos ómega-3 têm sido comprovados em inúmeros estudos. Embora a sua única aplicação terapêutica aprovada seja para a redução dos triglicéridos, outras funções não menos relevantes no sistema cardiovascular lhes têm sido atribuídas. Uma delas é a redução da pressão arterial. Cientistas foram capazes pela primeira vez de descrever o mecanismo anti-hipertensor dos ómega-3 em ratos. Para além disso, parece que nem todos os ómega-3 são iguais e os suplementos podem não ter um efeito tão potente como o peixe.


Os vasos sanguíneos têm canais de potássio chamados de "slo1" que são activados pelo DHA, um tipo de ómega-3 derivado animais. A activação destes slo1 por ligação directa do DHA leva ao relaxamento dos vasos e diminuição da tensão. O EPA e o ALA aparentam ter um efeito bem menos potente a este nível. Acredita-se que o mesmo se passe no corpo humano, explicando-se assim mais um mecanismo molecular dependente dos ómega-3 de origem animal.

Um aspecto importante destas pesquisas é que os ésteres etílicos de DHA não parecem ter um efeito semelhante. Na verdade, eles inibem a acção do DHA natural a nível dos slo1, o que é obviamente contraproducente. Os ésteres etílicos de ómega-3 derivam do processo de fabrico de alguns suplementos alimentares. Curiosamente, é sob esta forma que estão os ómega-3 do Omacor, medicamento vendido em farmácia para redução dos triglicéridos.

Parece que apenas na sua forma nativa se poderá tirar o melhor partido dos benefícios do óleo de peixe. Procure suplementos com ácidos gordos livres ou triglicéridos de ómega-3. Existem duas marcas fáceis de encontrar em Portugal: Gold Nutrition Clinical (triglicéridos) e Pharma Nord (ácidos gordos livres).

Artigo 1
Artigo 2

Sem comentários:

Enviar um comentário