11 de março de 2013

Mais sobre os ftalatos e os alimentos que comemos


Já sabemos que os ftalatos (um tipo de disruptor endócrino) estão presentes nos alimentos que comemos, com ou sem contaminação das embalagens plásticas. A mim sinceramente não me interessa falar em níveis de exposição segura porque estes químicos simplesmente não deviam estar no nosso corpo. Um estudo de uma equipa da Universidade do Texas testou vários alimentos comprados em Albany, estado de New York, para a presença de ftalatos. Descobertas curiosas que vale a pena partilhar convosco.


Os resultados revelaram que a contaminação é disseminada e significativa em produtos como a carne de porco e bebidas supostamente saudáveis como o chá de limão dietético! Mas chamo a vossa atenção para o ofensor número 1: os óleos vegetais! Não vou dizer outra vez o que eu já pensava deles antes desta novidade. Não me quero tornar aborrecido...

Se já não fosse mau o suficiente, um outro tipo de alimentos é particularmente afectado pela contaminação com ftalatos: a comida para bebés processada. Pois é... Decidimos "plastificar" a alimentação das nossas crianças e claro que isso tem um preço. Os boiões e latas são cómodos mas podem não ser a opção mais saudável. Como a massa corporal é mais baixa, a exposição dos bebés é significativamente maior do que nos adultos. 



Lembremos que os potenciais efeitos nefastos dos disruptores endócrinos se evidenciam mais nas fases de desenvolvimento. Para minimizar o contacto com estes químicos pode optar por recipientes de vidro ou simplesmente evitar alimentos processados e pré-embalados. Se bem que nem isso elimina totalmente o risco.

Claro que esta amostra não é representativa mas pinta um quadro do que nos rodeia.



Sem comentários:

Enviar um comentário