14 de março de 2013

Pensar em eventos stressantes passados pode aumentar a inflamação


O stress está tão ligado à psicologia que muitas vezes esquecemos o impacto que pode ter na fisiologia, impacto este mensurável com marcadores bioquímicos. O cortisol é conhecido como a hormona do stress e é provavelmente o indicador melhor descrito. Mas não é o único. Uma equipa de investigadores mostra agora que "ruminar" em eventos stressantes passados pode aumentar a proteína C-reactiva (CRP), um marcador de inflamação crónica.

Uma amostra de indivíduos foi submetida a um teste que consistia numa espécie de entrevista de emprego com duas pessoas mal encaradas. Depois, metade foi questionada sobre a experiência e a outra metade foi relaxar. Verificou-se um aumento significativo nos níveis de CRP no primeiro grupo. A CRP é hoje utilizada como um marcador de risco cardiovascular. Embora não consensual, existem indícios de que poderá estar envolvida de forma directa na patofisiologia da aterosclerose. Da mesma forma, existe uma corrente médica que enfatiza o papel do stress na prevalência da doença cardiovascular e incidência de eventos agudos.


Veja mais:
O mistério de Roseto
A maldição do número 4 e o efeito Baskerville
Lições do Oriente



Sem comentários:

Enviar um comentário