8 de abril de 2013

A resistência à insulina e o cancro da mama


É conhecida a maior prevalência de Síndrome Metabólica entre mulheres com cancro da mama, caracterizada por obesidade abdominal, hipertrigliceridemia, baixo HDL-c. hipertensão e hiperglicemia. Segundo muitos autores, apenas de a Síndrome Metabólica ser um cluster complexo de manifestações clínicas, a resistência à insulina é a consequência, ou causa, que une todas as outras. E uma das consequências pode ser o cancro, em particular da mama. Uma equipa italiana de investigadores observa agora que a resistência à insulina é não só mais prevalente entre em mulheres com cancro da mama, mas também parece prever o risco de o desenvolver no futuro, especialmente em mulheres pós-menopausa.


Curiosamente, ou não julgo eu, os níveis de glicose em jejum não parecem prever o risco de cancro da mama. Apenas o índice HOMA-IR, um indicador que tem em conta a insulina e glicémia de jejum, se revelou preditivo na coorte estudada. No entanto, apesar de ser um indicador muito usado em estudos epidemiológicos como este, é consensual que não se trata do marcador ideal em clínica. A prova oral de tolerância à glicose é sem dúvida superior, não fosse a resistência à insulina em fenómeno essencialmente pós-prandial.

Quando uma pessoa se torna resistente à insulina, o pâncreas compensa a hiperglicémia com a secreção de mais insulina. Desenvolve-se hiperinsulinémia. A insulina actua sobre as células tumorais como uma factor de crescimento, células estas que mantêm uma grande sensibilidade à hormona. Especula-se também que possa ser um factor transformante e que potencia o desenvolvimento de alguns tumores. Daí, estratégias nutricionais que visam controlar a secreção de insulina têm sido estudas como um possível adjuvante terapêutico em alguns cancros sensíveis à insulina.



Immacolata Capasso, Emanuela Esposito, Francesca Pentimalli, Maurizio Montella, Anna Crispo, Nicola Maurea, Massimiliano D¿Aiuto, Alfredo Fucito, Maria Grimaldi, Ernesta Cavalcanti, Giuseppe Esposito, Giuseppe Brillante, Sergio Lodato, Tonino Pedicini, Giuseppe D¿Aiuto, Gennaro Ciliberto, Antonio Giordano. Homeostasis model assessment to detect insulin resistance and identify patients at high risk of breast cancer development: national cancer institute of Naples experienceJournal of Experimental & Clinical Cancer Research, 2013; 32 (1): 14 DOI: 10.1186/1756-9966-32-14

Sem comentários:

Enviar um comentário