18 de abril de 2013

Hiperinsulinémia crónica e a mortalidade cardiovascular


De acordo com os resultados do mega-estudo NHANES III, níveis elevados de péptido C estão associados a maior mortalidade geral e cardiovascular em pessoas não-diabéticas. Indivíduos com valores superiores a 1,018 nmol/L apresentam 1,8-3,2 vezes mais risco comparativamente a pessoas com níveis inferiores a 0,440 nmol/L. O estudo revela ainda que o péptido C é melhor preditor que a hemoglobina glicada ou glicémia.


A associação entre a homeostase glicémica e o risco cardiovascular ou de mortalidade geral é conhecida. O interessante destes resultados é que o péptido C é um indicador de hiperinsulinémia crónica. A maior exposição a níveis elevados de insulina tem implicações a nível cardiovascular, nomeadamente na função endotelial que precede o desenvolvimento do ateroma. Além disso, a hiperinsulinémia crónica favorece um ambiente pró-inflamatório propício ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Jin-young Min, Kyoung-bok Min. Serum C-peptide levels and risk of death among adults without diabetes mellitusCMAJ, 2013 DOI: 10.1503/cmaj.121950

Sem comentários:

Enviar um comentário