3 de abril de 2013

Ómega-3 associados a maior longevidade e menor mortalidade cardiovascular


De acordo com um novo estudo agora publicado no Annals of Internal Medicine, idosos com níveis mais elevados de ómega-3 no sangue têm um risco de mortalidade geral de 27%, e de 35% por doenças cardiovasculares. Este trabalho, de um grupo de investigadores de Harvard, revelou que os idosos com maiores níveis de ómega-3 viveram em média mais 2,2 anos do que os seus pares com menores níveis. A quantidade de ómega-3 no corpo, idealmente avaliada nos eritrócitos, está associada ao consumo alimentar (de origem animal), verificando-se um aumento considerável dos níveis a partir das 400 mg por dia.

O DHA foi o ómega-3 mais fortemente associado a uma redução do risco de doença coronária e morte por  AVC. O EPA associou-se a um menor risco de ataques cardíacos não-fatais.

Mozaffarian, autor do estudo, conclui que os idosos devem consumir peixes gordos pelo menos 2 vezes por semana. Ora, isto não é surpreendente e faz já parte das recomendações gerais de saúde. Não sendo possível, ou em situações específicas, a suplementação pode ser uma alternativa viável em doses de 1 g por dia (cerca de 3 g de óleos de peixe).


Dariush Mozaffarian, Rozenn N. Lemaitre, Irena B. King, Xiaoling Song, Hongyan Huang, Molin Wang, Frank M. Sacks, Eric B. Rimm, and David S. Siscovick. 
Annals of Internal Medicine, 2013 Apr;158(7):515-525.

4 comentários:

  1. Por exemplo... Mas... http://www.fat-new-world.com/2013/01/salmao-selvagem-vs-aquacultura.html

    ResponderEliminar
  2. hey nao da para me arranjar o artigo sff?
    não o consigo sacar nem pelo site da Universidade e acho que me dava jeito para o trabalho que estou a realizar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Posso mas preciso de um endereço de e-mail :)

      Eliminar