3 de maio de 2013

Mais notícias da Vitamina D...


Hoje sem muito tempo para escrever, quero apenas dar-vos conta de dois estudos muito recentes sobre a vitamina D. Segundo parece, baixos níveis de vitamina D estão associados a um maior risco de pneumonia, pelo menos na Finlândia. Num outro estudo, uma equipa Canadiana estabelece que 400 IU de vitamina D são suficientes nos bebés com menos de um ano para tirar partido de todos os benefícios da suplementação.


Uma equipa Finlandesa verificou que baixos níveis séricos de vitamina D3 é um factor de risco para pneumonia (2,5 vezes maior risco). Tratou-se de um estudo retrospectivo com quase 1500 indivíduos. Os resultados não são de todo surpreendentes uma vez que a deficiência em vitamina D debilita o sistema imunitário e aumenta o risco de infecções respiratórias. Segundo os investigadores, e o bom senso diga-se, a suplementação é fundamental, especialmente no Inverno e em pessoas com mais de 60 anos. Claro que estamos a falar da Finlândia, mas pelo que tenho visto em análises por cá, a deficiência é também extremamente comum.


A suplementação com vitamina D3 é muitas vezes recomendada pelos pediatras aos bebés, embora as dosagens não sejam consensuais entre a comunidade médica. As recomendações correntes variam de país para país. Na França e Finlândia é comum uma dosagem de 1000 IU por dia. No Canada, a quantidade diária suplementada é geralmente de 400 IU no Verão e 800 IU no Inverno.

Segundo os resultados de um ensaio conduzido por uma equipa Canadiana, a suplementação com 400 IU/dia durante 12 meses em crianças com menos de 1 ano é suficiente. No entanto, eu não meteria as mãos no fogo por este estudo. A vitamina D tem acções sistémicas que vão muito além do crescimento e densidade óssea. Os investigadores apenas avaliaram o peso, comprimento, circunferência da cabeça, níveis séricos de vitamina D, e densidade mineral óssea. De qualquer forma, 400 IU revelaram-se suficientes para manter níveis séricos favoráveis.

E pronto, por hoje é tudo... E por amanhã provavelmente também. Aulas hoje para dar até bem tarde e amanhã estarei em Matosinhos a acompanhar as atletas do meu ginásio! Domingo há mais Fat New World :)





2 comentários:

  1. Ha uns tempos que me interrogo como e que os povos em altas latitudes conseguem sobreviver com niveis de exposicao solares baixos ? Provavelmente existe uma interaccao entre a Vit A D e K2. ? De qualquer forma menos de 5000 IU dia e acho que e pouco e complementada com fontes de Vit A e k 2 . Estarei correcto ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo que me é revelado nas análises que vejo, nós por cá também sobrevivemos com baixos níveis de vitamina D :P. O que nos poderíamos questionar é se gozamos, ou gozam em altas latitudes, de saúde óptima.

      A bem possível que a dieta, tanto em termos de fontes de vitamina D como de outras vitaminas sinérgicas, tenha de facto um papel relevante sim.

      Eliminar