1 de maio de 2013

Uma hormona recém descoberta pode revolucionar o tratamento da diabetes


Uma hormona recém descoberta por uma equipa do Instituto de Células Estaminais da Universidade de Harvard está a causar alvoroço entre a comunidade científica e, em particular, a indústria farmacêutica. A betatrofina parece capaz de estimular a proliferação e diferenciação de novas células beta no pâncreas em cerca de 30 vezes a taxa normal. As implicações são claras no tratamento da diabetes, uma doença associada à falência das células beta. Aumentando o seu número com a betatrofina seria possível restaurar a função do pâncreas e conseguir normalizar a secreção de insulina. Segundo os investigadores, em vez de injecções diárias de insulina poderíamos passar a aplicações semanais, mensais ou até anuais de betatrofina.

Claro que se tratam ainda de resultados muito preliminares mas que estão a ser alvo de grande interesse por parte dos gigantes farmacêuticos, nomeadamente a Johnson & Johnson. De acordo com Douglas Melton, responsável pela investigação em Harvard, é possível termos ensaios clínicos em pessoas em menos de 5 anos. Até lá muita pesquisa terá de ser feita... O potencial existe, e o dinheiro agora também.


Sem comentários:

Enviar um comentário