28 de junho de 2013

Pais com uma vida activa, para filhos mais saudáveis


Todos sabemos que o exercício é central num estilo de vida saudável e que tem um impacto profundo no nosso perfil metabólico. E também sabemos que o nosso estilo de vida tem influência no metabolismo dos nossos filhos. Algumas marcas epigenéticas, mutáveis ao longo da vida com a interacção ambiental, parecem persistir nas células germinais e ser transmitidas à descendência [link]. Então, será que a prática de exercício por parte dos pais terá influência no fenótipo dos filhos? Um estudo com ratinhos agora publicado no Experimental Physiology [link] indica que sim.

-->

Um grupo de ratos (F0) foi exposto a exercício voluntário (EX) ou obrigado a uma vida sedentária (SED). Os animais foram reproduzidos e a primeira ninhada, F1, era toda ela sedentária. Estes animais foram sacrifícados às 8 semanas ou reproduzidos para dar a geração F2, também ela sedentária. Ou seja, independentemente do estilo de vida de F0, F1 e F2 eram animais sedentários. Os descendentes de F0 EX eram animais mais leves e com menos massa gorda. No entanto, os animais F2 EX (descendentes do F0 EX) apresentaram uma maior intolerância à glicose do que os F2 SED. Os investigadores verificaram também diferenças na expressão de certos mRNA de genes metabólicos.

Concluindo, parece que o estilo de vida, nomeadamente a prática de exercício físico, tem impacto no perfil metabólico da descendência. No entanto, isso não parece ser um "seguro" caso os descendentes sigam uma vida sedentária. O que é importante compreender é que as nossas escolhas têm impacto na saúde dos nossos filhos. Como tal, somos responsáveis por isso. Para não perder tempo, começo já a com a minha parte e vou a caminho do ginásio ;).

Sem comentários:

Enviar um comentário