31 de julho de 2013

A radiação dos telemóveis pode aumentar o stress oxidativo e risco de cancro


Já não é a primeira vez que vos falo deste assunto [link], mas novos desenvolvimentos vão aparecendo na literatura científica. As radiações electromagnéticas dos telemóveis são considaradas como "possivelmente carcinogénicas", embora haja uma inércia total em responder a este problema. As implicações de estudos conclusivos e pouco abonatórios teriam um impacto brutal na estrutura das sociedades modernas. Mas um novo estudo da Universidade de Tel Aviv aponta mais uma vez nesse sentido, alertando para os perigos do uso excessivo dos telemóveis [link].


O Dr Yaniv Hamzany da Universidade de Tel Aviv procurou pistas para o efeito dos telemóveis na saliva de pessoas que utilizam frequentemente estes aparelhos. As glandulas salivares são órgãos muito expostos à radiação electromagnética. A equipa verificou que a saliva dos utilizadores frequentes de telemóveis apresentava maiores níveis de peróxidos e outros radicais livres, indicadores de stress oxidativo e podencialmente carcinogénicos ao causarem mutações no DNA.

Tendo em conta que os "utilizadores frequentes" apenas tinham uma exposição mínima de 8h/mês (30 h em média), e que muitas pessoas passam bem mais tempo do que isso ao telemóvel, os resultados deste estudo podem ser significativos para o nível de exposição no dia-a-dia. Claro que não se trata de um ensaio controlado e que não podemos estabelecer uma relação causa-efeito com base neste estudo. Além disso foram avaliados minor endpoints e não aquilo que é realmente relevante - desenvolvimento ou não de cancro. No entanto, e juntando àquilo que a ciência nos tens mostrado nos últimos tempos, é bem provável que a exposição excessiva à radiação electromagnética dos telemóveis possa ser de facto prejudicial para o organismo e que devemos minimizá-la ao indespensável. Estratégias como utilizar alta voz sempre que possível ou auscultadores poderão também reduzir a exposição directa a este tipo de radiação.



Sem comentários:

Enviar um comentário