22 de julho de 2013

Para hábitos saudáveis numa criança, não diga... MOSTRE!


Para convencer uma criança a comer vegetais, uma imagem vale mais do que mil palavras. Pelo menos é o que nos diz um estudo recente da Universidade de Iowa [link], no qual ficou demonstrado que apresentar imagens dinâmicas e coloridas de uma salada na cantina pode aumentar o seu consumo até 90%. Esta é uma estratégia já muito utilizada, mas ao contrário. As companhias de fast food fazem publicidade visual agressiva nos media e muitas já apresentam os seus menus em ecrãs digitais com imagens dinâmicas. Ora, segundo este estudo, esta mesma estratégia poderia ser usada para promover hábitos alimentares saudáveis nas crianças.

Mas esta questão poderia levar-nos a uma outra: os hábitos alimentares em casa. Uma alimentação saudável não se promove com os pais a dizer o que a criança deve ou não comer. Promove-se mostrando... fazendo, eles próprios. As crianças não fazem o que lhes dizem, qualquer pai deve saber isso, mas têm aptidão para imitar os adultos. É a mesma coisa dizer que não se pode atravessar um sinal vermelho, mas quando estão com os pais fazê-lo, "me segurança". Quando a criança estiver sozinha, qual vos parece que vai ser o seu comportamento? O que lhe disseram, ou aquilo que lhe mostraram? Com a dieta é precisamente a mesma coisa! Do que vale dizer que um determinado alimento é mau quando faz parte da dieta da família ou vão todos em excursão ao fim-de-semana comê-lo? Ou pior, quando esse alimento é tido como uma recompensa? "Se te portares bem vamos ao McDonalds!" O que poderá ser mais confuso para uma criança do que isso?


Sem comentários:

Enviar um comentário