31 de julho de 2013

Uma dieta de "junk food" da mãe condiciona o sistema de "recompensa" do filho


Um estudo apresentado na Anual Meeting da Society for the Study of Ingestive Behavior [link] revela que comer "junk food" durante a gravidez altera o desenvolvimento das vias de sinalização dos opióides no cérebro da descendência, alterando permanentemente a forma com responde a estas substâncias quando são libertadas em resposta a alimentos altamente apelativos e "recompensantes". Os cientistas verificaram que o padrão de expressão da encefalina, um opióide endógeno, estava significativamente alterado nas crias de ratinhos que ingeriram "junk food". A mesma equipa tinha já verificado que os bloqueantes dos receptores de opióides eram também menos eficazes nestas crias a reduzir a ingestão de alimentos ricos em açúcar e gordura. Em conjunto, estes resultados indiciam que a sinalização dos opióides é menos eficaz quando existe exposição a um ambiente condicionado por estes alimentos durante a gestação. Ser menos sensível a estas substâncias significa que e necessário ingerir quantidades excessivas para obter uma resposta de "prazer" associada a estes alimentos.

Certo que este estudo foi efectuado em ratos e que precisa de ser reproduzido em Humanos, embora as dificuldades metodológicas que acarreta. No entanto, não é absurdo nem estranho pensarmos que um efeito semelhante exista na nossa espécie. A nutrição materna, e também paterna, tem uma grande influência no futuro da criança. Pense nisso quando chegar a altura.



Sem comentários:

Enviar um comentário