7 de agosto de 2013

Mais sobre sono: envelhecimento e saúde da pele


Um estudo patrocinado por uma conhecida multinacional de cosméticos revela pela primeira vez que um sono insuficiente está relacionado com o envelhecimento da pele e menor capacidade regenerativa após exposição ao Sol [link]. O estudo envolver 60 mulheres pré-menopausa entre os 30 e os 49 anos. A recuperação das queimaduras solares foi mais lenta em mulheres com um sono de má qualidade, com eritrema persistente por mais de 72 horas - indicador de inflamação. Além disso, a eficiência como barreira à perda de água era recuperada mais rapidamente após exposição a um agente de stress, disruptor da função da pele.

"Esta investigação mostra pela primeira vez que uma má qualidade de sono acelera os sinais do envelhecimento da pele e enfraquece a capacidade de reparação à noite. Estas associações entre o sono e o envelhecimento da pele, agora suportadas por dados científicos sólidos, terão um efeito profundo na forma como estudaremos a pele e as suas funções." - Dr. Daniel Yarosh, The Estée Lauder Companies.

À semelhança de outros estudos observacionais, as mulheres com pior qualidade de sono tinham um IMC tendencialmente superior, relacionado aqui com uma menor satisfação com a sua imagem. Já aqui falámos muito sobre o sono como um factor crítico na saúde e tantas tantas vezes negligenciado [leiam outros artigos sobre o tema aqui]. Agora, de acordo com estes novos dados, não é só o seu metabolismo que sofre mas também a sua pele e juventude. Se isto for um motivo mais forte, como se fosse possível, para garantir 7-8 h de sono por noite, não pense duas vezes. É provavelmente a alteração no seu estilo de vida que terá mais impacto na sua saúde.


Sem comentários:

Enviar um comentário