14 de setembro de 2013

Sintomas do hipogonadismo nos homens: deficiência em testosterona ou estrogénios?


Falámos há alguns meses do declínio nos níveis de testosterona que os homens experienciam com o passar dos anos [link]. Abordámos também já aqui o papel importante, e por muitas vezes ignorado, que os estrogénios desempenham nos homens [link]. Embora controverso, nos países "ocidentalizados" verifica-se de facto uma tendência decrescente da testosterona com a idade. Tendo em conta que nos homens a produção de estrogénios depende muito dos níveis de testosterona, através da acção da enzima aromatase, é natural que os níveis absolutos de estrogénios fiquem eles também deprimidos com o envelhecimento. Se assim é, quais as consequências disso?


Um estudo publicado no New England Journal of Medicine aborda precisamente essa questão [link]. Um grupo e homens recebeu um fármaco que inibe a produção de hormonas sexuais. Depois foram submetidos a terapia de reposição hormonal com testosterona, com ou sem inibidor de aromatase (anastrozole). O sub-grupo que recebeu o inibidor era caracterizante de deficiência em estrogénios. Os resultados indicam que, ao contrário do senso comum, é a deficiência em estrogénios que favorece a acumulação de gordura. Se leram atentamente este artigo [link], entendem porquê. Os androgénios, testosterona, controlam mais a massa magra e força. Ambas as hormonas são responsáveis pela função sexual, o que aliás é sabido pelos homens que "exageram" nos inibidores de aromatase em ciclos de esteróides anabolizantes.

Um outro aspecto interessante deste estudo é a grande variação dos níveis hormonais que contrariam a sintomática de deficiência. Por outras palavras, é impossível estabelecer uma dose terapêutica óptima com base apenas nos níveis das hormonas no sangue. A terapia deve ser guiada essencialmente pela sintomática do paciente, e não por valores tabelados como médias populacionais, sem significado biológico absolutamente nenhum. Cada caso é um caso, e no que toca a terapia hormonal isso é por demais evidente, o que aliás tenho vindo a chamar a atenção aqui no blog.

Quero apenas com este estudo reforçar o importante papel que os estrogénios têm para o homem, apesar de se tratarem de uma hormona muito mal compreendida e "diabolizada". A maior parte dos problemas relacionados com os estrogénios advêm sim de um rácio testosterona:estrogénios demasiado baixo e desfavorável. Não do efeito dos mesmos em termos absolutos.

Sem comentários:

Enviar um comentário