5 de novembro de 2013

Ingestão deficitária de vitaminas e minerais na Europa


Todos reconhecemos o quanto a dieta Ocidental é pobre, não obviamente em energia, mas no aporte de micronutrientes essenciais. As carências macronutricionais foram praticamente erradicadas do Mundo Moderno, dando lugar a deficiências micronutricionais muitas vezes subclínicas. O caso do Magnésio, Zinco, Selénio e Crómio é bem conhecido. Um estudo agora publicado no British Journal of Nutrition [link] revela que em alguns países Europeus o aporte de certas vitaminas e minerais pode ser deficitário, nomeadamente de vitamina D, vitamina B2, vitamina E, Cálcio, Iodo, Ferro, Selénio, Zinco e Potássio.


Este estudo de natureza epidemiológica envolveu dados de inquéritos em 8 países Europeus: Bélgica, Dinamarca, França, Alemanha, Polónia, Espanha, Holanda, e Reino Unido. Os resultados sugerem um aporte deficitário de algumas vitaminas e minerais, transversal a todos os grupos etários. Os resultados estão descritos na tabela seguinte:


Claro que devemos olhar para estes dados com cautela. Estudos epidemiológicos valem o que valem, especialmente quando baseados em inquéritos. Lembro-mos o caso do famoso NHANES, um estudo de coorte Norte-Americano na base de muito do que hoje em dia se pensa saber sobre nutrição. Um trabalho recente publicado no PLoS mostra uma incoerência biológica nos dados relatados [link]. Por outras palavras, a informação recolhida entra em conflito com a fisiologia humana, pondo em causa os métodos de recolha e veracidade dos resultados.

Mesmo assim, o baixo aporte de certas vitaminas e minerais não é de estranhar tendo em conta a deterioração da dieta nestes países. Portugal não foi estudado, muito provavelmente por não existirem dados suficientes, mas não é de esperar um resultado diferente. Baixos níveis de magnésio e zinco são comuns de encontrar, bem como vitamina D. Para esta última, não é na dieta que se poderá esperar a solução para a deficiência, mas sim em hábitos mais adequados de exposição ao sol e, eventualmente, suplementação nos casos em que é necessário.


Sem comentários:

Enviar um comentário