28 de setembro de 2015

Exercício: a dose faz o veneno? Uma reflexão...



Ontem em conversa de bar com o meu amigo João Moscão discutimos um tema sobre o qual me tenho debruçado bastante nos últimos tempos - a sobredose de exercício, ou sobre-solicitação neuromuscular. Em nutrição clínica desportiva é-nos feito acreditar que o overtraining é raro e que surge com cargas físicas extremas em atletas, ou em situações que de alguma forma os tornaram débeis. Mas na verdade, a minha experiência no campo é outra. Vejo sinais de overtraining em praticantes recreativos que nunca na vida iríamos chamar atletas, e especialmente em profissionais do Fitness. Estes vamos por agora deixar de lado pois quando o rendimento depende do número de horas em esforço facilmente caímos no excesso.

Será que isto faz algum sentido? Todos nós aceitamos que o exercício é um tipo de stress com o intuito de gerar adaptações positivas. No entanto, a linha que separa uma adaptação de positiva ou negativa é a capacidade do nosso sistema em lidar com esse stress, e recuperar mais forte dele. E se esse sistema estiver sobrecarregado? Se a carga alostática, que definimos como o conjunto de todos os factores de stress que interagem com o sistema, for demasiado penosa? Se a capacidade de tolerância ao exercício baixar, apenas porque outros factores de stress estão já a comprometer a nossa resiliência? Na verdade, o OTS (Overtraining Syndrome) é um estádio intermédio de um espectro de "fadiga central" (Over-Recching, Overtraining, Burnout), com muitos paralelismos com a disfunção adrenal.

É uma reflexão que vos deixo e um assunto a explorar no meu curso de Overtraining e Over-Reaching que está a ser "cozinhado", e num artigo bem mais detalhado no blogue. Será que um corrector de bolsa, gestor, controlador aéreo, publicitário, médico a sair de um banco, devem ir a uma aula de Body Pump ou Body Whatever, ou até fazer duas de seguida? O que acontecerá a este sistema? Colapso... O Overtraining ou sobre-solicitação não é um problema do músculo... começa no Sistema Nervoso, e passa por todos os outros. Train with the Brain... Pois na verdade é lá que começa a contracção muscular.

Sem comentários:

Enviar um comentário