9 de outubro de 2015

Perder ou ganhar no desporto interessa, pelo menos no que diz respeito à saúde

Perder ou ganhar não interessa. O que interessa é o desporto. Treta, pelo menos no que respeita à nossa saúde. Temos vindo a falar bastante aqui no blogue sobre o stress excessivo e a elevada carga alostática a que estamos sujeitos hoje [LINK]. E ver a nossa equipa perder ou ganhar pode ser um trigger determinante para um evento cardiovascular, ou sua prevenção. Ora vejamos estes dois estudos publicados em revistas médicas conceituadas:


Winning or losing does matter: Acute cardiac admissions in New Zealand during Rugby World Cup tournaments [LINK]
European Journal of Preventive Cardiology October 2015 vol. 22 no. 10 1254-1260

Quando a Nova Zelândia perdeu a semi-final da taça em 2003, houve um aumento em 50% das admissões nos hospitais desse país por problemas cardíacos, e em 20% por enfarte do miocárdio.

Lower myocardial infarction mortality in French men the day France won the 1998 World Cup of football [LINK]
Heart 2003;89:555-556 doi:10.1136/heart.89.5.555

Na mesma linha, mas ao contrário. Quando a selecção Francesa ganhou o Mundial de 1998, verificou-se uma redução significativa da mortalidade cardiovascular nesse país.

Portanto meus amigos, isso do fair play e competir por desporto tem muito que se diga. Pode ser um evento de vida ou morte! Mais uma vez o STRESS!

VER TAMBÉM:

1 comentário:

  1. Creio que tem mais a ver com a forma como as pessoas se relacionam com o perder/ganhar que com o perder/ganhar em si.

    Ou seja, especulo que quem de facto, na sua essência, joga pelo fair play e compete por desporto dificilmente terá esses resultados.

    Seria interessante, embora desafiante, fazer um estudo para averiguar esta minha crença (provavelmente até já foram feitos testes do género). As possibilidades de aplicação noutros contextos seria incrível :)

    ResponderEliminar