8 de novembro de 2015

Comparativo a 3 das melhores barras proteicas no mercado



Das preguntas mais frequentes que me fazem é qual a melhor opção de barra proteica entre a vasta gama existente no mercado. Embora acredite que nenhuma é o ideal e que devamos sempre procurar nos alimentos a solução, as barras dão resposta ao facilitismo e necessidade de soluções rápidas e saborosas para o dia-a-dia. Mesmo não sendo nós consumidores ou apologistas destes produtos, é importante conhecermos as soluções que o mercado nos oferece e as avaliarmos de forma crítica.

Olhando para a oferta de barras hiperproteicas baixas em hidratos de carbono e açúcar, três parecem-me à frente da concorrência neste momento: a R Bar da Reflex Nutrition, a Quest Bar, e a Total Protein Bar Low Sugar, novidade da Gold Nutrition neste segmento de mercado. Nesta avaliação vamos classificar de 1 a 5 os seguintes critérios: qualidade dos ingredientes, textura, sabor e preço.

Nota: critérios como sabor e textura são subjectivos e devem ser encarados como a minha apreciação pessoal do produto. Outras barras existem no mercado que poderiam entrar neste comparativo e admito uma eventual "injustiça", mas a verdade é que estou longe de ter provado todas. Na verdade nem quero e só em situações muito pontuais sou consumidor destes produtos.

Quest Bar Quest Nutrition

As Quest Bar vieram revolucionar o mercado das barras proteicas e durante algum tempo mantiveram-se à frente da concorrência, que respondeu rapidamente. As R Bar são um exemplo. A utilização de Stevia era um factor de distinção, apesar da sucralose continuar a ser o adoçante mais presente, bem como uma selecção de ingredientes naturais para um mercado cada vez mais alerta para estas questões.

Ingredientes (sabor cookies & cream): Protein Blend (Milk Protein Isolate, Whey Protein Isolate), Soluble Corn Fiber (Prebiotic Fiber), Almonds, Water, Cocoa Butter, Natural Flavors, Erythritol, Palm Oil, Dextrin, Cocoa (Processed with Alkali), Sea Salt, Calcium Carbonate, Sunflower Lecithin, Sucralose, Coconut Oil, Xanthan Gum, Baking Soda, Steviol Glycosides (Stevia).

Qualidade: 4
Textura: 3
Sabor: 4
Preço: 3 (2,27 eur na Prozis)

Observações: dependendo do sabor, as Quest Bar são de facto bastante agradáveis. No entanto, a quantidade de sal é muito elevada, possivelmente com o intuito de evitar outros conservantes, ou para potenciar o sabor da própria barra e torna-la mais viciante. Nada mais "gratificante" do que um alimento rico em sal e doce ao mesmo tempo.

R-Bar Reflex Nutrition

As R Bar são também recentes na gama de suplementos Reflex Nutrition, substituindo as antigas Pit Stop que já tiveram o seu tempo entre as melhores. São a resposta a um mercado cada vez mais exigente com a qualidade dos ingredientes usados e mais alerta para questões de saúde.

Ingredientes (sabor cookies & cream): MILK Proteins (32%), Soluble Gluco Fibre, Almonds (19%) [NUTS], Glycerine, Cocoa Butter, Water, Whey Protein Crispies(3%) (Whey Protein [MILK], Rice Flour, SOYA Lecithin), Cocoa Powder, Natural Falvourings, Sea Salt, Natural Sweetener (Stevia), Antioxidant (Tocotrienols as DeltaGold®).

Qualidade: 5
Textura: 3
Sabor: 4
Preço: 3 (2,40 eur na Bodytemple)

Observações: as R Bar são de facto barras muito bem conseguidas no que toca à selecção de  ingredientes, embora perca em textura em sabor comparativamente à concorrência (claro que isto é um critério subjectivo). A stevia é o único adoçante utilizado, e talvez por isso fiquem atras a este nível. A Reflex não desilude com este produto tal como é norma para a marca Inglesa.

Total Protein Bar Low Sugar Gold Nutrition

As Total Protein Bar são uma novidade da Gold Nutrition neste segmento, e que não fica nada atrás da concorrência. Na verdade surpreenderam-me pela positiva neste teste comparativo e posicionam-se à frente em aspectos como a textura e sabor, que quer queiramos quer não é decisivo na escolha.

Ingredientes (sabor cookies & cream): Proteínas lácteas (caseína, soro do leite) (36%), Isomalto-oligossacáridos, Água, Amêndoa (12%), Pedaços de bolacha de chocolate aromatizados (maltodextrina, cacau em pó, água, óleo de coco, aroma, sal, levedante (bicarbonato de sódio, bicarbonato de amónia), edulcorante (sucralose)) (10%), Manteiga de cacau, Aroma, Humidificante (eritritol), Pedaços de chocolate preto com edulcorante (pasta de cacau, edulcorante (maltitol), manteiga de cacau, emulsionante (lecitina de soja), aroma) (1%), Regulador de acidez (ácido cítrico), Conservante (sorbato de potássio, benzoato de sódio), Edulcorante (sucralose). 

Ingredientes (double chocolate): Proteínas lácteas (caseína, soro do leite) (32%), Chocolate preto com edulcorante (pasta de cacau, edulcorante (maltitol), manteiga de cacau, emulsionante (lecitina de soja)) (22%), Isomalto- oligossacáridos, Água, Amêndoa (12,5%), Aroma, Humidificante (eritritol), Regulador de acidez (ácido cítrico), Conservante (sorbato de potássio, benzoato de sódio), Edulcorante (sucralose).

Qualidade: 4
Textura: 5
Sabor: 5
Preço: 3 (2,30 PVP recomendado)

Observações: as Total Protein Bar Low Sugar são barras interessantes na sua composição, talvez não tanto como as R Bar, mas superando-as em aspectos como o sabor, textura, e preço. Utilizam o eritritol, malitol (políóis), e sucralose como adoçantes. Podemos também ver que existem diferenças significativas em relação aos sabores, e optaria pelas de chocolate no que respeita aos ingredientes.  

Nota em relação aos edulcorantes: sendo a Stevia um adoçante não-calórico natural, a nossa tendência preconceituosa é considera-la superior. No entanto, este não é um critério válido só por si. Na natureza temos os maiores venenos, como a cicuta por exemplo, e várias toxinas xenobióticas. Na verdade a Stevia tem o contra de ser uma introdução recente na cadeia alimentar, não sendo ainda possível perceber os seus efeitos a longo prazo na saúde. A sucralose já se encontra connosco há mais de 30 anos e encontramos muito mais estudos científicos - uns a comprovar a sua segurança, outros a sugerir algum grau de toxicidade. Não quero com isto dizer que a sucralose é 100% segura, mas não aceito que "artificial" seja rótulo de mau só por si. Na verdade, acredito que todos os edulcorantes não-calóricos possam ser de certa forma prejudiciais. Aqui no blogue podem encontrar alguma informação a esse respeito [LINK].

Conclusão

Se a "qualidade" fosse definida apenas pelos ingredientes utilizados, o pódio vai para as R Bar da Reflex Nutrition. No entanto, o sabor e textura são também critérios importantes a ter em consideração, se não os mais relevantes neste segmento, e assim a minha escolha recai sobre as Total Protein Bar Low Sugar de chocolate. Neste comparativo parecem-me as mais equilibradas entre os critérios que avaliei.

Sublinho como nota final que esta é uma avaliação pessoal e que alguns critérios são do mais subjectivo possível. E mais importante do que isso, as barras não são nem nunca serão a melhor opção e devem ser utilizadas apenas em situações limite como "o menor dos males". Mas no contexto actual em que um snack é um pastel de nata e um galão, uma sandes de fiambre, ou uma barra "Fitness" do supermercado, estas barras são certamente melhores escolhas.

Sem comentários:

Enviar um comentário